Vacinação para pessoas de 62 e 63 anos tem alta procura no DF

Tempo médio de espera chegou a mais de duas horas em postos no Parque da Cidade, Asa Sul e Asa Norte. No Lago Sul, a demora foi maior: 4h

Os brasilienses enfrentam fila e uma espera de até quatro horas em alguns postos para receber a vacina contra a Covid-19 nesta sexta-feira (23/4). O movimento é grande em função do início da imunização para pessoas de 62 e 63 anos (45.021) e o começo da aplicação da segunda dose para aqueles que tomaram AstraZeneca (34 mil).

Ao todo, a Secretaria de Saúde do DF espera imunizar mais de 79 mil pessoas nos próximos dias. Para quem tem 62 anos ou mais ou vai receber a segunda dose da vacina, não há necessidade de agendamento. A vacinação vai continuar neste sábado (24) e domingo (25).

No drive-thru do Lago Sul, localizado na Policlínica da QI 23, a procura é grande. Muitos esperaram mais de quatro horas para serem vacinados. Segundo informações do Departamento de Estrada e Rodagem (DER), às 15h30, a fila de veículos era composta por mais de 500 automóveis e se estendia por mais de 6 km, até as proximidades da QI 17.

Maria Aparecida de Souza Paulino, 62, chegou no local por volta das 10h30. “Mesmo com a demora não estava ansiosa. Apenas confiante de que isso vai passar”, conta.

Quem também foi vacinado no posto do Lago Sul foi o ex-governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, 62 anos. “Vacina é vida. Foi uma demora que vale à pena”, disse após aguardar desde às 11h.

Parque da Cidade

No drive-thru do Parque da Cidade, montado no Estacionamento 13, por volta das 13h. a fila de espera era grande e ultrapassava 300 veículos. Segundo informações apuradas pela reportagem, o tempo médio de espera para a imunização era de 2 horas.

A aposentada Maria das Graças Soares, 63, celebrou o momento. “Estou presa em casa sem poder ver a minha família. Agora, é esperar pela segunda dose e viver a vida mais tranquila”, afirmou.

O servidor público aposentado Sérgio Rolo, 62, resumiu o sentimento de felicidade. “Estava muito ansioso. A gente chega a essa idade e vê muitos amigos morrendo. Quero ficar livre”, destacou.

Bastante empolgado, o empresário Carmendo de Souza, 63, também recebeu o imunizante contra a Covid-19 no Parque da Cidade. “Estava com expectativa grande, assim como todo mundo. Sem a vacina, somos privados da nossa liberdade de sair de casa e estar com a família”, ressaltou.

Veja imagens da vacinação no Parque da Cidade:

1/7
No Parque da Cidade, a fila para a vacinação no modelo drive-thru chegou a 300 veículos
Hugo Barreto/Metrópoles
Maria das Graças Soares, 63 anos: "Agora, é esperar pela segunda dose e viver a vida mais tranquilamente"
Sérgio Rolo, 62 anos: "Estava muito ansioso"
Carmendo de Souza, 63: "Sem a vacina, somos privados da nossa liberdade de sair de casa e estar com a família"
Hugo Barreto/Metrópoles
Vacinação de pessoas de 62 e 63 anos começou nessa sexta (23/4)

 

Asa Sul

Na Unidade Básica de Saúde (UBS) da 612 Sul, outra grande espera marcou a imunização. Por volta das 14h, cerca de 200 pessoas aguardavam no local, organizados em uma única fila para pessoas que receberão a primeira ou a segunda dose das vacinas.

A assessora Renza Carla de Carvalho, 63, esperou cerca de 2 horas para receber a primeira dose da AstraZeneca. “Agora, é um sentimento de vitória”, definiu.

A aposentada Nádia Ferreira Pena, 62, se apegou ao lado religioso para enfrentar a pandemia antes da chegada da vacina. “Estava muito ansiosa, fiquei rezando bastante pela chegada desse dia”, resumiu.

Veja fotos da vacinação na 612 Sul:

1/7
Campanha tem levado à redução de óbitos pela doença entre idosos
Internações de idosos também têm caído no DF após a imunização
Nádia Ferreira Pena, 62: "Fiquei rezando bastante pela chegada desse dia"
Renza Carla de Carvalho, 63: "Agora, é um sentimento de vitória"
Hugo Barreto/Metrópoles
Vacinação
Hugo Barreto/Metrópoles
Asa Norte

A reportagem também acompanhou a movimentação da campanha na UBS 2, na 114/115 Norte, que também registrou filas. Às 14h30, cerca de 150 pessoas aguardavam pela primeira dose da AstraZeneca, além da segunda dose da Coronavac.

Desde as 12h20 no local, Maria José Mendonça, 62, ficou feliz com a imunização, apesar da espera. “A aplicação foi rápida e não doeu”, disse.

Frederico Luiz Silva, 67, recebeu a segunda dose. “Agora, estou um pouco mais tranquilo. Vou seguir me cuidando”, contou.