*
 

Janelas e portas quebradas, bancos rasgados, correria e confusão. As imagens dos foliões voltando para casa são de vandalismo e destruição nas estações do Metrô-DF. Ao todo, 41 vagões foram danificados – cinco deles precisaram ser retirados de circulação para reparos. 

A diretoria do Metrô informou que analisa as imagens das câmeras de segurança para identificar os responsáveis pelos danos. A ideia é acionar a Justiça e cobrar o valor dos reparos. Os prejuízos ainda estão sendo calculados pelas empresas atuantes no sistema de transporte público do Distrito Federal.

O Metrô-DF afirmou que os estragos não vão prejudicar a circulação de passageiros. “Conseguimos manter 23 trens rodando durante o feriado. Na próxima semana, pretendemos retomar a circulação normal, com 24 composições”, explicou o diretor de Operação e Manutenção da empresa, Carlos Alexandre Cunha.

De acordo com a direção do Metrô, a noite com mais ocorrências de vandalismo foi a de terça-feira (13/2), com 14 trens danificados. No total foram quebradas 48 janelas, 25 portas, 118 capas de botões de emergência, 21 extintores e cinco luminárias. Três trens também foram alvo de pichações.

As cenas de destruição foram registradas em vídeos. Em uma das gravações, um homem é detido após caminhar pelos trilhos.

Confira:

 

Veja imagens:

 

Ocorrências dispararam
O número de ocorrências é mais do que o dobro da quantidade registrada no Carnaval anterior, segundo Carlos Alexandre Cunha. Em 2018, o horário de circulação dos trens foi estendido em pelo menos meia hora, nos quatro dias de folia. “Nós recebemos um número maior de passageiros com essa mudança. Além disso, os blocos acabaram mais cedo este ano, e mais pessoas utilizaram o transporte público para voltar para casa.”

“Infelizmente, ainda não foi possível recolocar em operação cinco dos vagões vandalizados, em razão do expressivo número de ocorrências. Os estoques de peças foram consumidos, requerendo que novas aquisições de sobressalentes sejam feitas pela empresa”, acrescentou o diretor de Operação e Manutenção da companhia, ressaltando que o atendimento aos passageiros não será reduzido por causa dos vagões encostados.

Ônibus vandalizados
No caso dos ônibus, 58 coletivos foram destruídos entre sábado (10) e terça-feira (13), e estão passando por conserto. O prejuízo ainda é calculado pelas concessionárias do transporte público do Distrito Federal. Do total, 10 carros são da Pioneira, 15 pertencem à Piracicabana, 31 à Urbi, e há dois da Marechal. No ano passado, esse número fechou em 69.

Metrópoles teve acesso a um vídeo em que um grupo dança no interior de um ônibus. Uma mulher chega a ficar pendurada dentro do coletivo.