O bancário Thayvid Fernandes, 38 anos, foi surpreendido na quinta-feira (10/1) ao saber que foi multado pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), em 6 de janeiro, por não utilizar o cinto de segurança. No momento da autuação, conta, estava dirigindo sua motocicleta e não teria passado pela via onde supostamente ocorreu a infração. O valor cobrado é de R$ 195,23.

“O mais estranho de tudo é que não tenho carro. Essa multa é totalmente descabida. Não passei pela DF-001 neste horário, onde a notificação disse que eu estava. Vou tentar recorrer”, ressalta Thayvid. “É muito transtorno causado.”

Além da multa pelo cinto de segurança, o condutor foi autuado por dirigir sem atenção, conforme o código de infração nº 5207. Nesse caso, a cobrança é de R$ 88,23. O horário das duas infrações é o mesmo: às 11h35.

Thayvid conta que pretendia renovar a habilitação neste ano, mas o ocorrido pode atrapalhar seus planos devido à pontuação na carteira. “Já paguei todas as taxas, mas agora, com essa multa, não sei como vai ficar.”

À reportagem, o DER-DF, informou que “houve uma falha concernente à inserção do código de infração, tendo sido preenchido erroneamente pelo autor da autuação. Devido a esta falha, certificamos que as duas multas serão canceladas automaticamente”.

Aumento no número de infrações
Em balanço realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), verificou-se um aumento de 30% no número de infrações cometidas pelos motoristas no Distrito Federal na região do Entorno do DF. Em 2017, a instituição havia registrado quase 74 mil multas e, em 2018, o número subiu para aproximadamente 96 mil. Entre as mais graves, destacam-se a embriaguez ao volante, as ultrapassagens indevidas, a falta do uso de cinto de segurança e o excesso de velocidade.

O índice que mais aumentou na comparação entre os dois últimos anos foi o de trafegar acima da velocidade máxima permitida na via. Em 2018, a PRF intensificou a fiscalização desse tipo de infração e quase 49 mil motoristas foram flagrados nas rodovias que cortam a capital federal. Esse número representa um acréscimo de mais de 350% em comparação com o total de registros feitos em 2017.

Recentemente, a Superintendência da PRF do Distrito Federal adquiriu dois novos radares e, de acordo com a corporação, pretende intensificar ainda mais esse tipo de fiscalização em 2019, tanto na capital federal quanto no Entorno.