Categorias: Distrito Federal

Tráfico: lista de clientes de auditor tem servidores do TCU e Senado

Compartilhe

Investigadores da Coordenação de Repressão às Drogas (Cord) da Polícia Civil do DF encontraram extensa lista contábil – com nomes, telefones e valores – relacionada ao tráfico de drogas que seria feito pelo auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Lucas Ribeiro, 32 anos, em parceira com um servidor do Senado Federal. Segundo a PCDF, a dupla faturava alto com a venda de uma espécie da maconha gourmet, geneticamente modificada e com alto poder alucinógeno. Ainda de acordo com a corporação, boa parte da clientela é formada por servidores dos dois órgãos federais.

Cada grama da erva chegava a custar R$ 200. O quilo da droga saía por R$ 20 mil. A operação foi deflagrada em conjunto com a 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), Divisão de Operações Especiais (DOE) e Aéreas (DOA).

Os policiais apontam que os contatos com os clientes eram feitos por meio de redes sociais, pelas quais os dois servidores ofereciam a droga. O volume de venda era grande, principalmente porque esse tipo de maconha contém alto teor alucinógeno e não exala cheio quando consumida.

A PCDF irá intensificar as apurações para identificar possíveis traficantes que fomentavam a venda dentro e nas imediações dos órgãos federais, bem como localizar usuários. O auditor da Corte de Contas foi preso em casa, no Altiplano Leste. O funcionário do Senado ainda está sendo procurado.

Integrantes da Cord encontraram 3 kg de maconha já pronta para a venda, além de outros 30 pés da erva que estavam em pleno cultivo em um terraço da casa do auditor, no Altiplano Leste, que fica entre o Lago Sul e Paranoá. Em um dos cômodos da residência, Lucas Ribeiro mantinha um laboratório artesanal usado para potencializar os efeitos da maconha.

Antes de ser consumida, a droga passava por vários processos para ter seus efeitos potencializados. O servidor público está em período probatório, tendo sido nomeado em 2017, e recebe remuneração líquida de R$ 14 mil. Procurados pela reportagem, o TCU e o Senado não haviam se manifestado até a última atualização desta matéria. A defesa do auditor também não foi localizada.

Casa onde o auditor do TCU mora servia como laboratório para a produção de maconhamore
O quilo da droga produzida pelo auditor vale cerca de R$ 20 mil no mercado do tráficomore
A PCDf apreendeu 30 pés da erva em pleno cultivo no terraço da casamore
Maconha gourmet

De olho no alto poder aquisitivo de usuários do Plano Piloto, Lago Sul e Lago Norte, traficantes do Distrito Federal passaram a apostar no tráfico de ervas geneticamente modificadas. Com diferentes aromas e sabores, as maconhas gourmet podem ter gotas de limão, framboesa, cereja e chocolate. As apurações policiais apontam que apenas um grupo seleto de usuários consegue ter acesso a esse tipo de droga, devido ao elevado valor do produto. Uma pequena porção chega a custar R$ 1,4 mil.

Ao contrário do entorpecente vendido nas ruas e em bocas-de-fumo, as substâncias especializadas são negociadas em rodas de amigos. Em quase 100% dos casos, quem vende e compra se conhecem. Portanto, consideram a transação segura. Os grupos de WhatsApp tornaram-se um dos principais meios para os traficantes repassarem a oferta da maconha gourmet.

Cardápios com uma infinidade de ervas modificadas muitas vezes são expostos pelos criminosos. Apontada como a mais potente do mundo, a Super Lemon Haze, criada em laboratório, tem concentração de THC (tetraidrocanabinol) superior a 20% e sabor cítrico.

Carlos Carone

Formado pela Estácio de Sá (RJ), tem especialização em Gerenciamento de Crises pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Chefiou a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Segurança do Distrito Federal. Atuou como jornalista na Procuradoria-Geral da República (PGR), no Ministério da Defesa e na Caixa Econômica Federal. Trabalhou no Jornal de Brasília como repórter de Segurança. Faz parte da equipe de Cidades do Metrópoles desde a inauguração do portal.

Últimas notícias

Após harmonização facial de MC Loma, Gêmeas Lacração colocam silicone

No programa The Noite, o trio abriu o jogo sobre procedimentos estéticos

3 minutos passados

Para experimentar: vem aí o chocolate com apenas dois ingredientes

A gigante industrial Nestlé criou um novo produto sem açúcar refinado. Chocolates 70% amargo podem ser benéficos para a saúde

3 minutos passados

Caixa de Pandora: TRF1 julga Bandarra e Guerner pelo crime de extorsão

Eles são acusados de cobrar R$ 2 milhões para evitar a divulgação de um vídeo em que o ex-governador Arruda…

10 minutos passados

Ministério Público: decisão do STF pode suspender investigações do PCC

O procurador-geral de Justiça Gianpaolo Smanio destaca que o compartilhamento de dados fiscais e bancários tem amparo legal

13 minutos passados

Minas Icesp empata fora de casa e respira fora do Z4 do Brasileirão

Time saiu da parte de baixo da tabela após quatro rodadas entre os últimos do campeonato

21 minutos passados

Phelipe Siani desabafa após demissão da Globo: “Não foi fácil”

O repórter trabalhou no canal por 15 anos e agora pretende "explorar outros universos"

29 minutos passados