Sepultamentos no DF aumentaram 24,1% em 2020

Dos 14.331 enterros do ano passado, 3.322 eram casos confirmados ou suspeitos de coronavírus

atualizado 25/02/2021 19:49

Cemitério Taguatinga DFGustavo Moreno/Especial Metrópoles

Os seis cemitérios do Distrito Federal registraram 14.331 sepultamentos em 2020, ano da pandemia; a quantidade equivale a um aumento de 24,1% em relação a 2019, quando foram realizados 11.545 sepultamentos. Em 2018, o número foi de 11.322.

Dos 14.331 enterros de 2020, 3.322 eram casos confirmados ou suspeitos de coronavírus- cerca de 23,1% do total.

Em janeiro de 2021, de acordo com a assessoria do Campo da Esperança, os cemitérios de Brasília tiveram 1.118 sepultamentos. Destes, 155 eram casos suspeitos ou confirmados de Covid-19.

A empresa Campo da Esperança, que cuida dos cemitérios em Brasília, reitera que quantidade de sepultamentos não corresponde, necessariamente, ao número de mortes registradas no DF.

De acordo com a empresa, a rotina nos cemitérios sofreu mudanças para se adaptar à pandemia. Não é permitida a realização de velórios nos casos de morte por Covid-19, confirmadas ou suspeitas. Os caixões são recebidos em cada um dos seis cemitérios em uma sala separada exclusivamente para essa finalidade e seguem para serem sepultados no jazigo adquirido pela família. Além disso, os sepultamentos de vítimas da doença devem ocorrer em até 24 horas.

Nos casos em que a causa da morte é diferente de Covid-19, o velório passou a ser limitado a duas horas de duração, além dos 30 minutos de cortejo até o jazigo. São permitidas até 10 pessoas por vez dentro da capela durante o velório.

Últimas notícias