Servidor suspeito de fraudar concurso da Saúde é preso no DF

Segundo a Polícia Civil, há indícios de que Américo Júnior também aliciava e negociava pagamentos com candidatos

Mais um integrante da Máfia dos Concursos foi detido preventivamente na manhã desta sexta-feira (8/12). A prisão do técnico administrativo Américo Gonçalves Pereira Júnior ocorreu no Hospital Regional de Santa Maria, quando ele chegava para trabalhar. Trata-se de o primeiro candidato que teria fraudado um concurso a ser colocado na cadeia. O acusado foi aprovado em quinto lugar no certame da Secretaria de Saúde.

Segundo a Polícia Civil, há indícios de que Américo Júnior aliciava e negociava pagamentos com candidatos. O suspeito também era porteiro do prédio de Bruno de Castro Garcia Ortiz – preso preventivamente na primeira fase da Operação Panoptes, deflagrada pela Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco) em agosto deste ano.

Bruno é acusado de vender vagas em concursos públicos, esquema chefiado pelo pai dele, Helio Garcia Ortiz, preso na mesma operação.

“Américo também já tinha sido alvo de condução coercitiva na primeira fase da operação, por envolvimento com a organização criminosa. As investigações confirmaram as suspeitas, resultando em mandado de prisão decretado pela Justiça”, disse o delegado-chefe adjunto da Deco, Adriano Valente.

A Secretaria de Saúde informou que a Unidade Setorial de Correição Administrativa iniciará uma investigação preliminar para apurar o caso. A pasta reforçou, ainda, não tolerar irregularidades, e que as devidas providências serão tomadas para esclarecer os fatos.