*
 

As confusões em festas e happy hours no campus da Universidade de Brasília (UnB) têm causado dor de cabeça à Polícia Militar do Distrito Federal. Os problemas frequentes motivaram o envio de um ofício, em 27 de setembro, à reitora Márcia Abrahão de Moura. A corporação ressalta que os eventos são promovidos sem alvará de autorização, o que compromete a segurança dos jovens, e cita o caso de um rapaz esfaqueado durante uma confraternização no fim do mês passado.

De acordo com a PMDF, durante um happy hour realizado todas as quintas-feiras por alunos do curso de engenharia florestal, dois homens tentaram roubar o celular de uma mulher. Um rapaz que acompanhava a moça interveio e “foi esfaqueado três vezes, sendo duas nas costas e uma no braço, todas sem perigo de causar morte”, segundo consta no ofício (leia abaixo).

O documento ressalta que “a PMDF não foi acionada no momento do roubo nem (informada) sobre o esfaqueamento, tomando ciência dos fatos apenas com a entrada da vítima no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) pelo policial militar em permanência naquele órgão”.

Questionada sobre os problemas no campus, a corporação disse ao Metrópoles que “a reitora foi informada de situações que ocorrem no interior da faculdade, o que não abstém a atuação da PMDF”. A instituição ressaltou a importância de ser comunicada rapidamente em caso de necessidade para que equipes possam atender as ocorrências. Segundo o órgão, no caso da UnB, o policiamento é realizado por militares em bicicletas e em viaturas.

 

Ofício PMDF – UnB by Metropoles on Scribd

Outro lado
Procurada pela reportagem para comentar a situação, a universidade afirmou que “a Administração Superior da UnB constituiu uma comissão que está dialogando com os centro acadêmicos (CAs) no sentido de que as atividades de socialização entre estudantes sejam realizadas dentro das melhores condições de segurança, respeito à comunidade e ao patrimônio público e privado”.

A instituição disse ainda que todas as atividades de socialização entre estudantes, como festas e happy hours, precisam ser previamente comunicadas à Prefeitura do campus.

Ainda de acordo com a academia, “a UnB tem um convênio com a Secretaria de Segurança do DF que objetiva a atuação conjunta e preventiva, de forma a contribuir com o bem-estar de alunos, professores, servidores e pessoas que frequentam os espaços da universidade”.

Questionada sobre o episódio relatado pela PMDF, em que um rapaz foi esfaqueado, a UnB afirmou que “nenhuma ocorrência foi registrada na Diretoria de Segurança”.

Entorpecentes
Esta não é a primeira vez no ano que a UnB se vê às voltas com problemas relacionados à segurança pública. Em abril, o delegado Rodrigo Bonach, da Coordenação de Repressão às Drogas (Cord) da Polícia Civil, disse que a faculdade é “tolerante” com o consumo de drogas no campus. A declaração foi dada após a PCDF encontrar uma plantação de maconha próximo ao Centro Olímpico.

À época, a reitora Márcia Abrahão disse ao Metrópoles que a instituição não era “nem leniente nem tolerante” “A UnB é uma instituição educadora, que deve coibir, sim, o uso de drogas em suas dependências”, frisou na ocasião.

Um mês depois, a Polícia Militar prendeu um traficante em Taguatinga que pretendia vender R$ 100 mil em drogas na instituição de ensino.

 

 

COMENTE

UnBPMDFfestascampus
comunicar erro à redação