*
 

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, nessa segunda-feira (9/7), um dos maiores adulteradores de veículos da capital federal e do Entorno. Ronald Alessandro da Silva, 48 anos, foi alvo da Operação VW 150. Ele é acusado de integrar uma quadrilha que roubava, mediante restrição de liberdade das vítimas, caminhões de alto valor. A investigação foi conduzida pela Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri).

Delegados e agentes da especializada cumpriram sete mandados de prisão e cinco de busca e apreensão em Planaltina (DF), onde Ronald mora, no Novo Gama, Valparaíso e São Gabriel, municípios de Goiás.

Durante o cumprimento do mandado de prisão de um dos investigados, ao perceber a presença dos policiais civis, ele fugiu e entrou na residência ao lado, ameaçando fazer refém a proprietária do imóvel. As Divisões de Operações Aéreas (DOA) e Operações Especiais (DOE) foram acionadas.

Restrição de liberdade
As investigações tiveram início a partir de um roubo com restrição de liberdade que ocorreu em novembro de 2017. À época, os policiais da Corpatri  localizaram o veículo – cujo o modelo dá nome à operação – na região de São Gabriel. Ele seria comercializado no mercado paralelo por R$ 18 mil.

O motorista foi abordado em Valparaíso, no Entorno do DF, e chegou a ficar em poder dos criminosos armados por cerca de oito horas, período em que o caminhão foi levado ao receptador, que também foi alvo de prisão. O cativeiro era no Jardim Ingá, na mesma região.

“É um grupo que agia sob encomendas. Identificamos que o assalto de 2017 foi feito a mando de Ronald. Na casa dele, encontramos quatro caminhões adulterados e diversos equipamentos usados para cometer as fraudes. Ele tem uma extensa ficha criminal e já era conhecido por praticar, quase que com perfeição, as adulterações”, explicou o delegado da Corpatri Eduardo Alencastro Filho.

Apenas em um ano, a polícia estima que Ronald tenha adulterado cerca de 20 caminhões. Ele cobrava até R$ 3 mil para fazer o serviço. Durante as buscas, um outro veículo foi apreendido em São Gabriel (GO), totalizando cinco caminhões adulterados. Cada um é avaliado em, pelo menos, R$ 150 mil. Os presos responderão por roubo majorado pelo emprego de arma de fogo e restrição da liberdade, com penas variando de 4 a 10 anos de reclusão.

Confira o nomes dos presos:

– Ronald Alessandro da Silva
Jaime Ademar Bruxel
Darlan Ribeiro dos Santos
Genival Sombreira dos Santos
Francione Conceição Beserra
Franceilson de Lima Souza
José Juarez de Oliveira

Quadrilhas armadas

A Polícia Civil, por meio da Corpatri, vem desarticulando quadrilhas que atuam no roubo de veículos de grande porte. Em dezembro de 2017, foi deflagrada a Operação Alto Luxo, que levou 13 criminosos para a cadeia.

Segundo os investigadores, os acusados rendiam os motoristas dos caminhões e os levavam para um carro que sempre acompanhava a quadrilha. O local preferido era a BR-020. A partir daí, um dos assaltantes assumia a direção do veículo roubado e seguia para uma chácara na DF-105, em Planaltina (DF).

As vítimas permaneciam em uma região isolada e com muito mato. Sempre acompanhadas de um dos bandidos. Elas só eram liberadas após a ocultação do veículo e das cargas transportadas. A Polícia Civil apurou que o grupo vendia as mercadorias por um valor abaixo daquele declarado nas notas fiscais.

Os compradores, geralmente, eram comparsas que já faziam parte do esquema como comerciantes ou intermediários responsáveis por negociar a carga roubada com empresários do Distrito Federal e de Goiás.