Mulher acusada de matar ex-marido por asfixia é julgada em Ceilândia

Crime ocorreu na residência em que o casal morou por 15 anos, no Condomínio Pinheiros

Uma mulher acusada de matar o ex-marido por asfixia em 2011 será julgada nesta terça-feira (29/9), pelo Tribunal do Júri de Ceilândia. Maria Dalva Cavalcante é apontada como autora da morte do marido Ivanildo Pereira de Souza. O crime ocorreu na residência em que o casal morou por 15 anos, no Condomínio Pinheiros.

No processo, consta que Maria Dalva não vivia com o marido na época do crime. Ela o teria chamado para conversar na casa em que moravam. Quando Ivanildo chegou ao local, ela teria golpeado o homem na cabeça e o estrangulado com auxílio de uma corda. O crime seria motivado por uma possível relação que Ivanildo teve enquanto estava separado da ex-esposa.

Em defesa, Maria Dalva alegou que uma terceira pessoa invadiu a casa e atacou a vítima. Ela contou ainda que tentou intervir na briga, mas não teve êxito. A versão não foi comprovada no laudo pericial. O laudo de exame aponta ainda que a casa em que a vítima foi assassinada não apresentava sinais de arrombamento. Peritos também examinaram o local e não encontraram vestígios da presença da terceira pessoa que teria praticado o crime.

Ao analisar a cena do crime, a perícia constatou manchas de sangue (com o perfil genético de Maria Dalva) em alguns objetos encontrados no interior da residência, como uma luva, pedaço de esparadrapo, camiseta, socador do pilão e uma toalha. Segundo a investigação, os utensílios foram usados no assassinato.  O laudo indica ainda que o ferimento presente na cabeça da vítima foi causado pelo socador de pilão. Registros de ligações que Maria Dalva fez para o ex-marido também constam no processo.