Confusão no Mané Garrincha: homem armado ameaça torcedores antes do Fla-Flu. Veja vídeo

Os membros das torcidas organizadas “Raça Rubro-Negra” e “Torcida Jovem do Flamengo” entraram em confronto

A pouco menos de seis meses de sediar jogos de futebol das Olimpíadas 2016, o Estádio Nacional de Brasília foi palco de uma situação muito perigosa no último domingo (23/2). Antes do início do jogo entre Flamengo e Fluminense pelo Campeonato Carioca, membros das torcidas organizadas “Raça Rubro-Negra” e “Torcida Jovem do Flamengo” entraram em confronto e um homem chegou a ameaçar torcedores com uma arma de fogo. Assista ao vídeo:

De acordo com Daniel de Lima, 36 anos, diretor da Raça Rubro-Negra em Brasília, o grupo em que ele estava foi atacado por cerca de 30 homens da Torcida Jovem do Flamengo, devido a uma rivalidade entre os dois grupos. “A gente respeitou todos os procedimentos acordados com a Polícia Militar do DF. Quando chegamos nas arquibancadas, no entanto, fomos surpreendidos pelos agressores, que tinham barras de ferro. Um deles também nos ameaçou com uma arma de fogo”, afirma.

Ainda de acordo com Daniel, a confusão durou entre cinco e dez minutos, até que dois policiais militares apareceram para apaziguar a situação. Indignado, o dirigente reclama do trabalho das forças de segurança. “Uma falha como essas não pode acontecer. A confusão poderia ter acabado em uma grande tragédia. A revista na entrada tem que ser muito mais rígida e não pode permitir brechas como esta”, desabafa.

A Torcida Jovem do Flamengo está, inclusive, banida de assistir jogos do time em todo o país até março deste ano, após uma ação imposta pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. O Juizado do Torcedor e Grandes Eventos do estado também proibiu o grupo de utilizar marcas, logotipos, camisas, instrumentos musicais e músicas que façam alusão à presença da torcida organizada em um raio de cinco quilômetros do local de realização dos eventos esportivos.

A determinação veio depois que torcedores do grupo foram acusados de invadir o vestiário do time do Macaé e furtar objetos, além de aterrorizar jogadores e membros da comissão técnica, antes de um jogo da equipe contra o Flamengo em janeiro de 2014. Caso descumpra a decisão, a torcida é multada em R$ 20 mil por integrante identificado ou jogo.

Segundo a Secretaria de Turismo do Distrito Federal, os membros da Torcida Jovem do Flamengo chegaram descaracterizados, como torcedores comuns, e por isso tiveram a entrada permitida. O órgão reconheceu a ocorrência do confronto, mas afirma não ter nenhum registro de uso de armas por torcedores. Por fim, a pasta alegou que a segurança interna do estádio era de responsabilidade do contratante do jogo, no caso o Fluminense.

O Metrópoles entrou em contato com a Polícia Militar do DF, responsável pelas revistas a torcedores na entrada do estádio, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria. A reportagem não conseguiu contactar a Torcida Jovem do Flamengo no DF.