Iges coloca médicos de sobreaviso para cobrir faltas em hospitais

Medida vale nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) geridas pelo instituto. Profissional será remunerado por estar de plantão remoto

atualizado 05/11/2019 13:28

JP Rodrigues/Metrópoles

Médicos serão convocados para cobrir profissionais faltosos nas unidades administradas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF). Os chamados têm o objetivo de manter o atendimento à população em situações de emergências e horários de pico. Os profissionais estão de sobreaviso.

O diretor-presidente do Iges, Francisco Araújo, assinou resolução para regulamentar a convocação na manhã desta terça-feira (05/11/2019), no Hospital de Base (HBDF). Cada chamamento deverá ser acompanhado e justificado pelo setor responsável, com a Superintendência de Gestão de Pessoas do instituto.

“O sobreaviso é, sem dúvida nenhuma, um aporte do Instituto de Gestão no sentido de dar mais dignidade às pessoas, de ter o atendimento nos hospitais e nas UPAs que nós dirigimos”, afirmou Araújo.

“A população busca por parte do poder público a resolução. E não é justo que ela sofra pela a falta de um profissional”, acrescentou o diretor-presidente.

Regime de plantão

Segundo o Iges, o profissional estará de sobreaviso quando estiver fora do instituto, mas em regime de plantão ou equivalente. Nessa situação, ele ainda estará sob gestão patronal por meio de ferramentas informatizadas e telemáticas e se encontrará sujeito à convocação em qualquer momento durante o período de descanso.

Na prática, no caso da eventual falta de um profissional, o dirigente da área poderá acionar o quadro de médicos de sobreaviso para repor o atendimento. Araújo disse não ter conhecimento de mecanismo de gestão de pessoal semelhante nas redes públicas na América Latina.

O médico de sobreaviso receberá valor equivalente a um terço da remuneração. Caso seja convocado, será pago com o valor integral, durante o tempo de trabalho no Iges. De acordo com o instituto, o direito de adicional noturno será respeitado.

O Iges administra o HBDF, o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e seis UPAs na capital. O instituto tem em marcha o projeto de construção de seis novas unidades.

 

Últimas notícias