Saúde alerta: uso do narguilé ajuda a disseminar o coronavírus

O mais recomendável é parar de usar a substância, inclusive de forma individual

atualizado 21/03/2020 14:16

Igo Estrela/Metrópoles

Com o avanço do coronavírus, as autoridades fazem um alerta. Uma prática perigosa para a saúde ainda permanece ativa entre jovens e fumantes: o uso do narguilé, utilizado em grupo e de forma compartilhada, pode disseminar a contaminação pelo Covid-19.

“Mesmo com bares e tabacarias fechados, os jovens e fumantes ainda se reúnem em ambientes abertos para fumar o narguilé. Sem saber, eles correm o risco de se contaminarem, porque a piteira passa de boca em boca, aumentando as chances de transmissão do coronavírus e demais viroses”, alertou a gerente de Apoio à Fiscalização da Diretoria de Vigilância Sanitária (Divisa), Márcia Olivé.

Segundo a especialista, a Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde tem intensificado as fiscalizações em bares, restaurantes e tabacarias que comercializam e servem o narguilé, devido ao seu crescente uso nesses locais, principalmente pelos jovens.

“No Brasil, é proibido o uso de qualquer produto fumígeno em locais fechados ou parcialmente fechados, como tendas. De janeiro a agosto do ano passado, realizamos 66 vistorias, sendo que 34 foram autuados e 13 interditados. Além de fumar o narguilé, percebemos ainda a falta de higiene nas preparações para o uso dele”, informou Olivé.

De acordo com a Referência Técnica Distrital (RTD) de Tabagismo, Nancilene Melo, além das fiscalizações, é necessária a colaboração da sociedade para reduzir o uso do narguilé.

Como o coronavírus é altamente contagioso e transmitido por secreções e gotículas que ficam em suspensão, incluindo as do espirro ou da tosse, o narguilé torna-se um forte meio de transmissão, já que acumula as duas coisas.

“Geralmente, o usuário do narguilé o faz em grupos, com compartilhamento da piteira. Então, além de aglomerar pessoas, ainda termina compartilhando secreções”, informou.

Veja as dicas:

— O mais recomendável é parar de usar a substância, inclusive de forma individual, uma vez que o Covid-19 é mais grave em fumantes.

Caso a pessoa continue a utilizar a substância, a RTD orienta o isolamento social no momento de fumar, sem compartilhar o produto

— Importante ainda lavar as mãos de forma de forma frequente ou usar álcool em gel e manter uma distância segura entre as pessoas

— De acordo com o Ministério da Saúde, o narguilé contém nicotina e outros 4.700 ingredientes tóxicos. Após uma sessão de 45 minutos, aumenta a concentração de nicotina e monóxido de carbono no organismo. Com isso, os batimentos cardíacos aceleram-se e ainda ocorre uma exposição intensa a metais pesados, altamente tóxicos e de difícil eliminação, como o cádmio.

— A fumaça do narguilé tem as mesmas substâncias tóxicas que a fumaça do cigarro e algumas até em maior concentração. Por isso, seu uso crônico pode desencadear as mesmas doenças causadas pelo consumo do cigarro.

— Além disso, muitos usuários de narguilé misturam maconha ao tabaco e, em vez de água, colocam bebida destilada, como vodca. Dessa maneira, os efeitos podem ser ainda mais devastadores, porque a pessoa estará usando três drogas ao mesmo tempo: nicotina, maconha e álcool.

 

Últimas notícias