A quinta-feira (28/6) foi de emoção na Igreja Nossa Senhora de Fátima, a Igrejinha. As celebrações dos 60 anos de sua construção começaram pela manhã e prosseguiram durante a noite. Para marcar a data, além de missas, foi realizada a cerimônia de entronização das relíquias dos santos pastorinhos, Jacinta e Francisco Marto.

Os dois irmãos, ao lado da prima Lucia, teriam presenciado as aparições da Virgem Maria em Portugal.

As relíquias são pequenos pedaços dos caixões onde estão os corpos dos santos e foram dadas de presente ao santuário pela Embaixada de Portugal no Brasil. Elas ficarão expostas para veneração dos fiéis durante as missas celebrativas pelo jubileu.

Igo Estrela/Metrópoles

Uma das relíquias

 

Inaugurada em 1958, a capelinha foi o primeiro templo religioso em alvenaria a ser erguido em Brasília e está sob os cuidados da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos. As homenagens foram encerradas com uma procissão e a apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, sob a regência do maestro Cláudio Cohen.

A Igrejinha está localizada na 307/308 Sul. O templo foi construído em 100 dias, sendo inaugurado durante a celebração de casamento da filha do então prefeito de Brasília, Israel Pinheiro.

Igo Estrela/Metrópoles

 

A Igrejinha foi erguida a pedido da primeira-dama Sarah Kubitschek, como agradecimento pela cura de uma filha. A ideia inicial era construir um espaço para 800 fiéis, mas o projeto de Oscar Niemeyer acabou sendo feito sobre uma área que abriga 40 pessoas – 140 se contarmos o lado externo, sob a “aba” do “chapéu de freira”.

Em seu interior e na fachada se encontram azulejos de Athos Bulcão. Os afrescos, com bandeirolas e anjos de Alfredo Volpi, foram cobertos por tinta em uma reforma ocorrida na década de 1960. O prédio foi tombado como patrimônio cultural e histórico nacional em dezembro de 1987. (Com informações da Arquidiocese de Brasília)