Prudente manda CLDF investigar suposto esquema praticado por articulador da campanha de Jaqueline Silva

Metrópoles revelou áudio em que Daniel de Abreu Corrêa ensina indicado a como "ganhar uma graninha por fora" em conselhos do FAC

atualizado 11/12/2020 0:47

CLDFRafaela Felicciano/Metrópoles

O áudio em que o 1º secretário do PTB no DF, Daniel de Abreu Corrêa, promete indicar um empresário a uma cadeira no Conselho do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) para desviar recursos repercurtiu na Câmara Legislativa do DF.

O presidente da CLDF, deputado Rafael Prudente (MDB), determinou a entrada da Procuradoria da Câmara no caso ao final da sessão remota de plenário dessa quinta-feira (10/12). O chefe do Parlamento local considera importante saber mais detalhes da negociata promovida por Daniel, que também atuou como articulador da campanha política da distrital Jaqueline Silva (PTB).

“Determino à Procuradoria que entre nesse processo para que possa ser apurado o quanto antes”, ressaltou Prudente, ponderando que não faria qualquer julgamento em relação à postura de Jaqueline.

“Desejo que a deputada Jaqueline Silva consiga elucidar esses fatos o mais rápido possível”. O pedido de apuração partiu do deputado Chico Vigilante (PT).

Na gravação revelada pelo Metrópoles, Daniel ensina Wallace Soares Nazário a como se comportar em reuniões para “fazer caixa para 2022” e “ganhar uma graninha por fora”.

Ouça, a seguir, a gravação completa:

Segundo Vigilante, o caso exige uma investigação “célere, rápida e urgente”. “E se não envolve a deputada, se ela não cometeu nada do que eles estão dizendo, que a própria Câmara se encarregue de colocar os procuradores (da Casa) para agir na Justiça para que eles sejam punidos”, afirmou.

Na leitura de Vigilante, o áudio é uma afronta à população do DF. “Isso é um deboche. Se tem conselheiro que ganha R$ 3,5 mil e não faz nada, deveria ser demitido para a contenção de despesas”, argumentou.

MPDFT

O Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) também passou a acompanhar o caso. A investigação será conduzida pela A Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social (Prodep). A princípio, os promotores deverão chamar tanto Daniel Corrêa quanto Wallace Soares Nazário.

Reação do PTB Nacional

Após a repercussão, direção nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) informou que Daniel foi afastado da primeira-secretaria no Distrito Federal “para que possa exercer seu direito de ampla defesa e contraditória”. No Brasil, sigla é comandada pelo ex-deputado federal Roberto Jefferson.

Ao Metrópoles, a deputada distrital e presidente do PTB-DF, Jaqueline Silva, considerou o teor do áudio “extremamente grave” e adiantou que levará o caso ao conhecimento das autoridades policiais.

Leia a resposta dela, na íntegra:

“A denúncia é extremamente grave e vai ser objeto de queixa à polícia, que deve investigar a conduta de todos os envolvidos. Jamais permiti que qualquer pessoa utilizasse meu nome. Sempre fui guiada pelos princípios de legalidade. A fala é completamente fantasiosa, pois jamais fiz qualquer indicação de membros para conselhos do GDF. O que é facilmente comprovado”.

Também em nota, o primeiro-secretário do PTB-DF, Daniel Corrêa, admitiu o que disse no áudio, mas ressaltou que não tinha a intenção de promover algum desfalque nos cofres públicos.

“Errei. Falei em nome de pessoas que jamais me deram este direito. Com o objetivo de demonstrar um poder que nunca tive, falhei comigo mesmo. A conversa ocorreu em março de 2019 e a indicação, por óbvio, nunca aconteceu, pois nunca tive tal influência. Também nunca tive verdadeiramente o objetivo de praticar o que ali foi colocado. Errei e estou pronto para arcar com as consequências”, respondeu Daniel.

O secretário de Cultura do DF, Bartolomeu Rodrigues, reagiu duramente ao áudio obtido pelo Metrópoles que, segundo o gestor afirmou, cita, levianamente, a Secretaria de Cultura e o FAC.

“Isso é ridículo. O que este senhor está fazendo é pura bravata. Qualquer um que conhece a estrutura da secretaria e do FAC sabe que não há o menor cabimento técnico no que ele diz que vai fazer”, afirmou o secretário.

Bartolomeu defende que a deputada Jaqueline Silva aja com rigor no episódio: “Isso é caso de Polícia. E, se confirmado que o áudio é de um colaborador próximo, espera-se que a parlamentar tome as devidas atitudes”, destacou.

Wallace Nazário, empresário com quem Daniel conversa na gravação, não respondeu às mensagens enviadas pela reportagem . O espaço está aberto para eventuais manifestações

 

 

Últimas notícias