*
 

Odiado por uns e amado por outros, o horário de verão passa a valer à 0h deste domingo (15/10). Com isso, os relógios deverão ser adiantados em uma hora. A mudança vai valer até o dia 18 de fevereiro de 2018 em três regiões: Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Os brasilienses, portanto, devem se preparar para encará-lo.

Se por um lado boa parte da população se incomoda com as alterações que o horário de verão causa na rotina, por outro, há muita gente que prefere chegar em casa ainda com a luz do dia. Gostando ou não da mudança, uma coisa é certa: ele mexe com o ritmo fisiológico de boa parte dos brasileiros.

“Qualquer alteração tem impacto importante na reprogramação de nossas funções biológicas, o que inclui também questões hormonais”, diz o professor de fisiologia do exercício da Faculdade de Educação Física da Universidade de Brasília (UnB) Guilherme Molina.

Segundo o professor, o que nos faz acordar é o pico de produção de um hormônio chamado cortizol, que costuma atuar logo cedo, entre as 6h e as 8h. Ao modificar o horário, o pico do cortizol sofre alteração. “A sensação que resulta disso é similar à do jet lag, quando uma pessoa tem de se adaptar a um novo fuso horário após fazer uma viagem de longa distância”, comparou.

De acordo com ele, de cinco a sete dias, as pessoas terão dificuldade de acordar plenamente. “E quando despertarem, ficarão mais lentas. Com isso, pode haver lapsos de atenção e aumentar o risco em situações como as que ocorrem no trânsito”, explicou o especialista. “Eu mesmo já fu vítima disso. Acordei sonolento e, ao sair de carro, não olhei para o lado e acabei sendo acertado por outro veículo”.

Segundo Molina, nem todo mundo consegue se adaptar facilmente ao horário de verão. “Há pessoas que não funcionam bem neste período. Elas ficam irritadas, agressivas, sonolentas, letárgicas, cansadas. Tem inclusive aquelas que sentem fraqueza física. Isso gera mais dificuldades, por exemplo, para quem gosta de malhar de manhã”.

Veja como fica o relógio a partir deste domingo (15/10):

O horário de verão pode também, segundo Molina, proporcionar algumas mudanças de hábito positivas. “Podemos aproveitar melhor o dia, inclusive para fazermos atividades físicas. Há mais tempo para irmos a parques, fazermos caminhadas”, sugeriu o professor.

Os passageiros que vão viajar neste domingo devem ficar atentos aos horários das passagens. Eles devem sempre seguir o horário local da cidade e indicado no bilhete para programar a viagem. (Com informações da Agência Brasil)

Onde vale o horário de verão
São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal

Confira dicas para enfrentar a mudança:

 

 

COMENTE

horário de verão
comunicar erro à redação

Leia mais: Distrito