Praça homenageia Letícia Curado, uma das 19 vítimas de Marinésio no DF

Decisão publicada no DODF desta sexta-feira (11/12) altera o nome do espaço para Praça da Mulher - Letícia Curado

atualizado 11/12/2020 9:36

Facebook/Reprodução

Letícia Curado, uma das mulheres mortas por Marinésio Olinto, 41 anos, em um crime que chocou o Distrito Federal, dará nome à uma praça localizada no Arapoanga, bairro de Planaltina onde a moça morava. O espaço fica às margens da Avenida Erasmo de Castro, ao lado dos lotes 1 a 7 no Condomínio Mestre D’Armas.

De autoria do deputado Cláudio Abrantes (PDT), o projeto se tornou lei após a publicação da edição desta sexta-feira (11/12) do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), com a sanção do governador Ibaneis Rocha (MDB).

Letícia foi assassinada no fim de agosto de 2019, após entrar no carro de um homem que lhe ofereceu carona do Arapoanga para a rodoviária do Paranoá. No caminho, o autor a assediou e, por ter sido rejeitado, decidiu matá-la. Nas investigações, a Polícia Civil do DF (PCDF) descobriu tratar-se do cozinheiro de 41 anos, Marinésio Santos Olinto, e, pela primeira vez na cidade, um crime cometido contra mulher em razão de desprezo ao gênero feminino foi considerado enquadrado como feminicídio.

Após a prisão do maníaco, foram identificadas outras 18 vítimas. Dentre elas, Genir Pereira de Sousa, 47 anos, também teve sua vida ceifada por Marinésio.

Últimas notícias