Postos do DF vão fechar à noite, aos domingos, e reduzir salários

Decisão foi tomada pelos sindicatos de patrões e funcionários. Empregados poderão ter corte de até 25% na remuneração

atualizado 23/03/2020 23:03

Bomba de posto de combustível no DFAndre Borges/Especial para o Metrópoles

Postos de combustíveis do Distrito Federal vão operar em horário especial em função da pandemia de coronavírus. O novo cronograma de funcionamento dos estabelecimentos passa a valer a partir desta terça-feira (24/03).

A decisão partiu de acordo firmado entre o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do DF (Sindicombustíveis) e o Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo (Sinpospetro).

No encontro, as entidades decidiram que os postos da capital, agora, funcionarão das 7h às 19h, de segunda a sábado. O acordo prevê que os estabelecimentos fechem aos domingos e feriados.

O novo cronograma é válido pelos próximos 120 dias. Entre outras medidas, os sindicatos também decidiram que os proprietários de postos poderão reduzir em até 25% o salário dos empregados durante o período, desde que haja, também, redução na jornada de trabalho dos trabalhadores.

Foi autorizada, também, a adoção de férias coletivas ou individuais aos frentistas que fizerem parte do chamado grupo de risco da Covid-19.

A pandemia de coronavírus fez os postos de gasolina do Distrito Federal perderem clientes. E, consequentemente, os preços começaram a cair. Nesta segunda-feira (23/03) foi possível encontrar o combustível sendo vendido a partir de R$ 3,98, nos postos JP (Taguatinga), Quality Combustíveis (Ceilândia) e Brasal Combustíveis (SIA).

Quarentena

A atividade comercial é uma das poucas autorizadas pelo Governo do Distrito Federal (GDF) a funcionar durante o período de quarentena.

Em decreto publicado na última semana, o Executivo local estabeleceu que permaneçam funcionando as seguintes atividades: clínicas médicas, laboratórios, farmácias, supermercados e lojas de materiais de construção, de produtos para casas atacadistas e varejistas, minimercados, mercearias, padarias, açougues, peixarias e operações de delivery.

Atualmente, o DF tem 135 casos de coronavírus confirmados e 3.631 em investigação.

Mais lidas
Últimas notícias