Secretaria de Justiça distribui ingressos para jogo do Flamengo

Ao todo, são 3 mil entradas para pessoas em situação de vulnerabilidade. Medida faz parte de ação social da pasta

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 14/02/2020 19:58

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) distribuirá cerca de 3 mil ingressos para instituições envolvidas em causas sociais e pessoas em situação de vulnerabilidade para a Supercopa do Brasil entre Flamengo e Athletico-PR, domingo (16/02/2020), às 11h, no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

A pasta chegou a cogitar levar adolescentes em conflito com a lei do regime meio aberto, mas acabou desistindo após manifestação contrária de entidade do sistema socioeducativo.

Os ingressos fazem parte da chamada cota social repassada ao Governo do Distrito Federal (GDF) pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Ao todo, a entidade entregou 3 mil entradas, sem custos, para o governo local. A ideia da Subsecretaria do Sistema Socioeducativo (Subsis) era levar 162 jovens do meio aberto – que tenham cometido crimes de menor potencial ofensivo – para o estádio, acompanhados de 73 agentes, como forma de ressocializá-los.

De acordo com a assessoria da Sejus, a doação foi cancelada por falta de pessoal, uma vez que o domingo é habitualmente um dia de visita aos menores internos do regime fechado.

Protestos

Antes do cancelamento, a possibilidade de dar ingressos a jovens em conflito com a lei não agradou o Conselho Nacional de Entidades Representativas dos Profissionais do Socioeducativo (Conasse).

“O governo poderia estar se preocupando em entregar os ingressos nas escolas públicas para alunos que se destacam. Muitos deles torcem para esses times. Talvez eles nunca tenham como assistir a uma partida, mas prefere dar para quem cometeu crimes”, protesta o presidente do Conasse, Cristiano Torres.

Ingressos

A Sejus informou que os ingressos serão repassados para instituições selecionadas, que cumpram critérios técnicos de atendimento social a pessoas em situação de vulnerabilidade.

De acordo com a pasta, até a tarde desta sexta-feira (14/02/2020), 1.479 pessoas estavam confirmadas por meio de entidades. O levantamento das famílias está sendo realizado pela Subsecretaria de Direitos Humanos e Igualdade Racial da Sejus, à frente da iniciativa.

Outros ingressos foram repassados à Subsecretaria de Apoio a Vítimas de Violência da Sejus (Subav). Pelo menos 480 pessoas já haviam confirmado a presença.

Últimas notícias