ONG protocola pedido de cassação contra distrital Robério Negreiros

Entidade diz ter provas de que o deputado fraudou o ponto: documento da CLDF tem assinatura do parlamentar em datas nas quais ele estava em viagem aos EUA

Filipe Cardoso/ Especial para o MetrópolesFilipe Cardoso/ Especial para o Metrópoles

atualizado 05/06/2019 18:09

O pedido de cassação do mandato do deputado distrital Robério Negreiros (PSD) foi protocolado pela organização não governamental (ONG) Adote um Distrital, ligada ao Instituto de Fiscalização e Controle (IFC). O documento foi entregue nesta quarta-feira (05/06/2019), por volta das 15h, na presidência da Câmara Legislativa.

A entidade se baseia nas investigações da Polícia Civil e do Ministério Público de Contas do Distrito Federal (MPC-DF). Ambos apuram a denúncia de que o parlamentar assinou folhas de presença em sessões da Casa em datas nas quais ele estava em viagem aos Estados Unidos.

O documento protocolado também solicita o afastamento do atual corregedor da CLDF, José Gomes (PSB), sob justificativa de ele ter sido condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) à cassação do diploma de parlamentar – portanto, não estaria apto a analisar o caso do colega.

A Adote um Distrital questiona a frequência de Robério em outras ocasiões. “Verificamos que, em 75% das presenças dele neste ano, não há registro de Robério sentado à Mesa Diretora ou em qualquer lugar visível. Também em muitos casos ele não é citado nas notas taquigráficas”, disse o coordenador da ONG, Calebe Cerqueira.

Segundo o ativista, um exemplo ocorreu pouco depois das desavenças entre Robério e Julia Lucy (Novo), no fim de março. Durante a fala de defesa, a deputada teria lamentado a ausência de Negreiros em uma sessão para ouvi-la. Contudo, conforme a documentação colhida pela ONG, o parlamentar teria assinado presença nas datas.

Hugo Barreto/Metrópoles
Representantes da ONG Adote um Distrital protocolam pedido de cassação do mandato de Robério Negreiros

 

Desvio ético

Para o vice-presidente do IFC, Everton Kischlat, o material coletado é suficiente para a CLDF abrir procedimento por quebra de decoro parlamentar. Kischlat apresentou como “provas contundentes” as assinaturas de presença de Robério nas duas sessões itinerantes da Câmara no Recanto das Emas em abril.

De acordo com o integrante do IFC, contudo, não há qualquer prova visual da ida do parlamentar aos dois eventos. “Estamos apontando fortes indícios”, justificou.

O presidente da CLDF, deputado Rafael Prudente (MDB), afirmou que a Casa prestará todos os esclarecimentos ao Ministério Público e à Polícia Civil sobre o caso. Ele alegou, contudo, que existem falhas no sistema de registro de presença, corroborando uma das justificativas de Robério sobre o assunto.

Por meio de nota enviada na terça-feira (04/06/2019), quando a ONG anunciou que protocolaria o pedido de cassação, Robério Negreiros disse “entender como saudável qualquer manifestação democrática de qualquer entidade”. “No entanto, refutamos qualquer tentativa de fazer parecer má-fé um erro formal que está sendo apurado e que será devidamente esclarecido no tempo certo e pelas instâncias competentes”, concluiu.

Últimas notícias