Juízes e promotores se opõem a pontos da Reforma da Previdência

"Objetivo é sensibilizar deputados a alterarem regra de transição; alíquota de contribuição e pensão pós-morte", diz entidade

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 06/07/2019 10:55

A mais poderosa entidade integrada da magistratura e pelo Ministério Público, fórum que aloja 40 mil juízes, promotores e procuradores em todo o País, promete sensibilizar deputados federais contra alguns pontos da reforma da Previdência.

A comissão especial da reforma da Previdência aprovou na quinta-feira (04/07/2019) o relatório apresentado pelo deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) por 36 votos a favor e 13 contrários.

A Frente Associativa do Ministério Público e da Magistratura afirmou, nessa sexta-feira (05/07/2019), que pretende “lançar campanha para intensa mobilização das entidades representativas das carreiras”.

“O objetivo é sensibilizar os deputados contra alguns pontos da reforma da Previdência: regra de transição; alíquota de contribuição e pensão pós-morte”, diz a entidade.

“A expectativa é de que os membros da Frente Associativa se engajem para reivindicar junto aos deputados tratamento similar ao dispensado aos próprios representantes do Congresso Nacional e militares de nosso país e minimizar as injustiças”, conclui.

Últimas notícias