*
 

Ibaneis Rocha se filiou ao PMDB na noite desta quarta-feira (8/11) tentando se esquivar de polêmicas. O ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção DF (OAB-DF) não falou da pretensão em disputar cargo majoritário — principal crítica de correligionários e líderes de partidos aliados ao advogado. O grupo de insatisfeitos acha que o ex-comandante da OAB-DF não merece tanto destaque.

Antes da posse, o novo peemedebista tentou dissipar as tensões. Convidou os deputados federais Alberto Fraga (DEM) e Izalci Lucas (PSDB), o ex-deputado distrital Alírio Neto (PTB) e o ex-secretário de Saúde Jofran Frejat (PR). Mas nenhum deles apareceu na cerimônia. Quem também se ausentou foi o distrital Wellington Luiz (PMDB), secretário-geral da sigla, que reclamou publicamente da filiação, conforme noticiou o Metrópoles.

Apesar de esses políticos não terem ido à sede do PMDB-DF, na 503 Sul, o auditório estava lotado. Além de peemedebistas, dezenas de advogados prestigiaram a posse de Ibaneis.

Ao discursar, Ibaneis fez questão de citar os ausentes e falou que é preciso tentar consolidar a aliança. “Há muito tempo converso com Tadeu Filippelli [presidente licenciado do PMDB-DF], que sempre atendeu todos os pleitos da OAB. Tenho certeza que seremos capazes de construir um projeto vitorioso”, disse.

 

Filippelli tentou colocar panos quentes sobre a situação, e destacou que o diálogo com os partidos aliados segue em aberto. A ideia do grupo é compor uma chapa majoritária para 2018, distribuindo nomes de expressão para disputar os cargos de governador, vice e senador, além de deputados federais e distritais.

Em relação a Wellington Luiz, Filippelli reforçou que conversará com o parlamentar. “Tivemos um problema de comunicação, mas na política todos são importantes. Vamos trazê-lo de volta”, afirmou.

 

 

COMENTE

Tadeu Filippelliibaneis rocha
comunicar erro à redação