*
 

A comissão que investiga o caso do ex-servidor do gabinete do deputado distrital Juarezão (PSB) Gustavo Araújo Passos deu até a próxima quinta-feira (22/3) para o Ceilândia Esporte Clube e a Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF) apresentarem os contratos do jogador como profissional. Essa é a segunda vez que a Câmara Legislativa (CLDF) oficia o clube. Na primeira, o pedido de informações foi ignorado pelo time.

Gustavo é acusado de jogar e treinar pelo Ceilândia no horário em que deveria cumprir expediente no escritório político do parlamentar, em Brazlândia. Ele recebia salário de R$ 2.567,02 mensais.

O pedido da Casa com prazo é decorrente da falta de respostas do Ceilândia. Por esse motivo, a FFDF também foi oficiada, já que ela fica com cópia de todos as contratações com os jogadores.

Se antes a CLDF queria apenas o documento referente à temporada deste ano, agora a comissão exige todos os contratos de Gustavo desde o início de sua carreira profissional. O objetivo é saber se, no período em que ele estava jogando, nos anos anteriores, Araújo Passos também integrava a equipe de Juarezão.

Por meio de sua assessoria, a Federação de Futebol do Distrito Federal informou que o levantamento deve ser entregue à Câmara Legislativa nesta quarta-feira (21), um dia antes do prazo final.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do Ceilândia Esporte Clube, mas não havia recebido retorno até a última atualização deste texto.

 

 

COMENTE

Ceilândiajuarezãojogador de futebolservidor fantasma
comunicar erro à redação

Leia mais: Política