CLDF enviará 1 mil cartas para cobrar inadimplentes do seguro saúde

Servidores exonerados ao final dos mandatos parlamentares costumam ficar devendo para o Fundo de Saúde da Casa

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 13/12/2018 11:05

O Fundo de Assistência à Saúde dos Servidores da Câmara Legislativa (Fascal) recebeu um bônus de final de ano. Para avisar aos comissionados que deixarão seus cargos, no fim de 2018, sobre problemas de inadimplência, a Fascal terá um aumento no número de correspondência que poderá enviar neste mês de dezembro, de 300 para 1 mil cartas.

A decisão foi tomada pelos secretários executivos da Casa na terça-feira (11/12) e publicada nesta quarta (12). O acréscimo deve custar cerca de R$ 1,4 mil.

Com o fim do mandato dos deputados distritais, muitos servidores nomeados por eles serão exonerados. Parte deles acaba não deixando o plano de saúde e passa a ser inadimplente. Para evitar que os nomes deles sejam inclusos na dívida ativa, a Casa pretende avisá-los.

O presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT), explica que a medida só servirá para este mês, e que o número de cartas pedidas pela Fascal havia sido maior, mas acabou vetada.

Durante as discussões para o fim da verba indenizatória, buscando compensar a não extinção dos valores, a Casa reduziu em 90% o recurso autorizado para o envio, por parte dos gabinetes e dos órgãos ligados ao Legislativo local.

Últimas notícias