Câmara Legislativa faz pesquisa de preços para ter painel eletrônico

Equipamento que serve para acompanhar votações foi pedido por servidores da Assessoria de Plenário. Despesa pode chegar a R$ 1,5 milhão

Em tempos de vacas magras, a Mesa Diretora da Câmara Legislativa autorizou a cotação de preços para a compra de um painel eletrônico para a Casa. A aquisição é um sonho antigo dos servidores da Assessoria de Plenário, que hoje contabilizam manualmente cada um dos votos dos 24 deputados distritais. O custo pode superar o valor de R$ 1,5 milhão, já que o equipamento exige, ainda, um contrato de manutenção.

O aval para a pesquisa de preços, entretanto, não quer dizer que a compra é certa. Isso porque o assunto voltará à pauta assim que os orçamentos forem apresentados. Só então será dada a palavra final. Para se ter uma ideia da despesa, em 2014 o Senado Federal instalou um novo painel ao preço de R$ 4 milhões. No mesmo ano, a Câmara de São Paulo adquiriu um equipamento por R$ 800 mil.

O presidente interino da Câmara, deputado Juarezão (PSB), reconhece que a Casa está em um momento de “contenção de gastos. “Foi pedido o levantamento de um orçamento para avaliar o preço, por um grupo de servidores, mas não há nada definido. A princípio não vamos colocar para frente”, destaca.

O terceiro secretário, Bispo Renato Andrade (PR), a quem a Assessoria de Plenário é ligada, afirmou em nota que apesar de “conhecer a importância destes equipamentos, como por exemplo, para o acompanhamento facilitado das votações”, vai aguardar a realização da pesquisa de preços para se decidir.

“Precisamos conhecer preços e como a Câmara Legislativa vai arcar com estes custos. Esta decisão não pode ser tomada sem análise e sem estudarmos com cautela as possibilidades”, afirmou.