Polícia recebeu 1.000 denúncias sobre paradeiro de Lázaro; maioria é trote

Informação é da Secretaria de Segurança de Goiás. Disque-denúncia está funcionando há 24 horas

O disque-denúncia criado pela Secretaria de Segurança Pública de Goiás para informações sobre o paradeiro de Lázaro Barbosa, de 32 anos, recebeu cerca de mil denúncias em aproximadamente 24 horas de funcionamento.

De acordo com a pasta, a maioria delas foi de trotes ou conversas sem relevância para operação, o que tem prejudicado a caçada ao foragido, que nesta segunda-feira (21/6) entrou no 13º dia. Quem tiver informações, pode ligar para (061) 99839-5284.

Nesta segunda, foram realizadas incursões para checar relatos sobre possíveis locais onde o fugitivo tenha passado. As ações contaram com o apoio das equipes de cães. A SSP-GO informou que a força-tarefa vem avançando nas buscas e o cerco está ficando cada vez mais fechado.

Porém, desde sexta (18), a polícia não tem indícios sobre o aparecimento de Lázaro na região entre Girassol, Edilândia e Cocalzinho, cidades no Entorno do DF. O Exército Brasileiro cedeu 40 rádios comunicadores, que estão sendo utilizados pelas equipes.

Lázaro é acusado de matar uma família inteira no DF, balear outras três pessoas e praticar uma série de roubos com reféns desde o último dia 9.

Na manhã desta segunda, uma mulher denunciou ter visto um homem com as características de Lázaro passar por uma propriedade rural entre Cocalzinho e Águas Lindas de Goiás. Contudo, a informação não se confirmou.

Participam da operação, cerca de 270 integrantes das forças de segurança de Goiás e do Distrito Federal. Mais cedo, familiares do criminoso disseram não ter notícias sobre a localização dele. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) segue com os bloqueios na BR-070. Os agentes verificam o interior de carros, caminhões, ônibus e até vans escolares, nas proximidades de Girassol.

Final de semana

Nesse domingo (20), um morador de Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás, afirmou que a casa dele foi revirada durante a madrugada. “Reviraram tudo, até sofá. Mas nada foi levado”, disse o trabalhador autônomo Josenildo Conceição, 28 anos, que mora às margens da BR-070. Ele diz que gavetas, a cama e os armários estavam remexidos com as coisas fora do lugar.

A cerca da propriedade foi derrubada e a luz ficou acesa durante a madrugada. Porém, a Polícia Militar de Goiás fez a vistoria do local e disse que não foi possível confirmar se a invasão teve relação com o caso Lázaro.

Na noite de sexta-feira, o secretário de Segurança de Goiás, Rodney Miranda, comentou que Lázaro foi visto, mas conseguiu escapar. “Cheguei a ver o Lázaro a 1 quilômetro de distância”, afirmou.

De acordo com o chefe da pasta, a habilidade do criminoso em andar pela mata dificulta o trabalho policial. “Ele está na zona de conforto e continua num plano ensandecido de fuga”, disse.

Buscas

Os homens que integram a força-tarefa que busca pelo psicopata Lázaro Barbosa contam com um novo reforço. Um caçador da região, que conhece muito bem a mata, as grutas e os córregos da região entre Girassol e Edilândia, em Goiás, ajuda na caçada.

Acostumado a dormir ao relento no Cerrado, o homem, conhecido como Babaçu, passou a integrar uma equipe do Comando de Operações Táticas (COT) da Polícia Federal (PF) que participa das buscas. Ele teria exigido uma quantia em dinheiro caso sua participação fosse fundamental na localização do criminoso.

O caçador recebeu um colete balístico para protegê-lo durante as incursões nas matas mais fechadas. Ele também teria exigido o direito de usar uma arma durante as buscas, além de uma calça tática que proteja suas pernas. Na tarde desta segunda, Babaçu já estava em companhia de uma equipe da PF que seguia em campo atrás do psicopata.

1/4
Hugo Barreto/Metrópoles
Hugo Barreto/Metrópoles
Hugo Barreto/Metrópoles
Hugo Barreto/Metrópoles
Última aparição

O Batalhão de Cães da Polícia Militar do Distrito Federal (BPCães) e a tropa de choque da polícia de Goiás se concentraram, desde a última sexta, em uma área de mata em Girassol, no Entorno do DF, para tentar localizar rastros de Lázaro Barbosa de Sousa. Foi a última vez que as equipes tiveram informação sobre a presença do maníaco.

A força-tarefa teve início  após um morador da região avistar o suspeito. “O vizinho viu o Lázaro entrando no bananal e, em seguida, a polícia chegou. Minha casa está toda revirada… Porta quebrada, roupas e guarda-roupas revirados. Um queijo foi levado”, afirmou um produtor rural da região.

“Estamos com muito medo agora. Moramos aqui há 20 anos. Vivíamos tranquilos antes disso. A gente espera solução todo dia, reza, pede a Deus que este caso seja resolvido logo. A gente quer justiça. Isso tira o sono”, disse Sebastiana Aparecida Rodrigues, 65 anos. Da casa dela, foi levado um carregador de celular.

Veja imagens:

1/11
Os policiais também usam cachorros nas buscas ao criminoso
Cavalaria da PMGO realiza buscas próximo à área de onde ocorreu troca de tiros com Lázaro
Cavalaria da PMGO realiza buscas próximo à área em que ocorreu troca de tiros com Lázaro
Igo Estrela/Metrópoles
Igo Estrela/Metrópoles
Igo Estrela/Metrópoles
O cerco se concentra na região de Girassol, distrito de Cocalzinho
Igo Estrela/Metrópoles
Igo Estrela/Metrópoles
Igo Estrela/Metrópoles
Cavalaria da PMGO realiza buscas próximo à área em que ocorreu troca de tiros com Lázaro

 

A Polícia Civil de Goiás divulgou vídeos que mostram a caçada ao assassino em série pela região. Conforme o Metrópoles revelou, os agentes encontraram pelo caminho, durante as diligências, vários rituais supostamente deixados pelo psicopata.

Em diversos pontos dentro da mata, foram encontradas velas de sete dias, com pedaços de papel com o nome completo do criminoso. As autoridades desconfiam de que o próprio suspeito tenha deixado as velas acesas para pedir proteção espiritual.

1/5
O maníaco morreu após entrar em confronto com a PMGO
Lázaro também agiu em Goiás. Ele foi flagrado saindo de um chácara após agredir quatro idosos
Projeções da PCDF sobre possíveis disfarces de Lázaro
Projeções da PCDF sobre possíveis disfarces de Lázaro
Lázaro fugiu pela mata por 20 dias
Chacina

As digitais de Lázaro foram encontradas na casa da família Vidal. Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15, teriam sido mortos por ele a tiro e facadas. O crime ocorreu na madrugada do dia 9/6, no Incra 9, em Ceilândia.

Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43 anos, esposa de Cláudio e mãe das outras vítimas. O corpo dela foi encontrado no dia 12, em um matagal. O cadáver estava sem roupa e com um corte nas nádegas, em uma zona de mata perto da BR-070.

A morte de Cleonice reflete a crueldade de Lázaro. O criminoso, autor da chacina que tirou a vida do marido e dos dois filhos da mulher, permanece foragido há nove dias. Oo maníaco matou a mulher com um tiro na cabeça.

Desde que matou a família Vidal, Lázaro vem entrando e saindo de propriedades, fazendo novas vítimas. Ainda no Incra 9, em Ceilândia, ele invadiu outros dois locais. Em Goiás, ele tem se escondido na região entre Girassol, Edilândia e Cocalzinho, Entorno do DF.

Família Vidal:

1/4
Cláudio Vidal de Oliveira
Cleonice Marques de Andrade
Carlos Eduardo Marques Vidal
Gustavo Marques Vidal