*
 

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu nesta segunda-feira (9/7) o casal acusado de participar do assassinato de mãe e filho no dia 4 de julho. O crime ocorreu na Rodoviária do Entorno, no antigo Touring, a menos de 5km do Congresso Nacional. Os suspeitos se apresentaram à 5ª Delegacia de Polícia (área central).

O homem apontado pela Polícia Civil como autor dos homicídios de mãe e filho na Rodoviária do Entorno trabalhava como ambulante no terminal, mesmo tendo um mandado de prisão em aberto por roubo qualificado e corrupção de menor. Henrique Monteiro Gonçalves, 33 anos, e a mulher dele, Geovana Gomes dos Santos, 32, considerada sua cúmplice, foram presos por ordem judicial.

Maria Célia Rodrigues dos Santos, 38, e Welington Rodrigues Santos Silva, 22, trabalhavam como vendedores ambulantes e teriam sido alvejados pelo criminoso devido a uma disputa por clientes no terminal. Kerolyn Ketlen Moreira, 19, filha de Célia e irmã de Welington, também foi baleada no tiroteio e levada ao hospital. A jovem passou por uma cirurgia para retirada de uma bala alojada no abdômen.

Vingança
Segundo testemunhas, Henrique chegou disparando e fugiu logo em seguida. No fim da tarde, um caminhão guinchou o carro do acusado, um Fiat Doblô verde que estava estacionado próximo ao terminal.

De acordo a Polícia Militar, na semana passada, Maria Célia registrou um boletim de ocorrência alegando ter sido ameaçada por Henrique. O motivo seria a disputa por clientes que formam as filas para entrar nos ônibus com destino ao Entorno. O incidente foi registrado na 5ª Delegacia de Polícia (área central) como lesão corporal e ameaça.

 

O suspeito teria se vingado nessa quarta-feira (4/7). Mãe e filho morreram com tiros no peito. Já a terceira vítima foi baleada no estômago. Kerolyn contou aos policiais que o autor do crime era o rapaz envolvido no episódio de ameaça registrado na semana anterior. A família é de Planaltina de Goiás.

A PM encontrou um facão ao lado do corpo do rapaz morto. Segundo a polícia, ele carregava a arma branca para se defender e já imaginava uma possível retaliação à denúncia feita pela mãe na delegacia.

Na hora do crime, Henrique estaria acompanhado de sua mulher, Geovana Gomes dos Santos. Ainda de acordo com a Polícia Militar, testemunhas disseram que os suspeitos teriam fugido em um ônibus para Águas Lindas de Goiás.

No fim da tarde de quarta (4), policiais militares detiveram uma testemunha e duas pessoas acusadas de serem cúmplices dos autores da execução, que estavam foragidos. No momento da abordagem, os suspeitos receberam uma ligação do possível responsável pelos disparos, pedindo-lhes para esconderem um veículo. Os detidos foram levados para a 5ª DP a fim de prestarem esclarecimentos.

O crime ocorreu em frente aos boxes 19 e 18, de Planaltina de Goiás, Novo Gama e Pedregal, por volta das 15h. Segundo os policiais que compareceram ao local, a arma usada no ataque é provavelmente um revólver de calibre .22 ou .32.

Por volta das 17h, desesperada, a esposa de Welington invadiu a cena do crime e precisou ser contida por policiais. Grávida, ela disse aos PMs responsáveis pelo isolamento dos corpos que o suspeito já tinha feito ameaças antes. “Falei para vocês. Welington, por favor. Meu amor, volta aqui”, gritou, aos prantos.