PCDF investiga criminosos que usam dados de servidores para aplicar golpes

A apuração foi desencadeada a partir do relato de um professor da Universidade de Brasília (UnB). Agentes tentam identificar mais vítimas

atualizado 28/10/2020 15:04

PCDFPCDF/Divulgação

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), por intermédio da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), deflagrou, nesta quarta-feira (28/10), a Operação 3×4, que teve por finalidade o cumprimento de mandados de busca e apreensão contra suspeitos de aplicar golpes com a utilização de dados de servidores públicos federais.

Foram cinco mandados executados: dois na Candangolândia, um em Santo Antônio do Descoberto (GO) e dois em Luziânia, também em Goiás. Durantes as buscas, foram apreendidos diversos documentos e celulares, que poderão indicar a suspeita dos investigadores, bem como comprovar o envolvimento dos suspeitos nas fraudes. Não houve prisões.

As investigações foram desencadeadas a partir do relato de um professor da Universidade de Brasília (UnB). Ele denunciou que seus dados haviam sido utilizados indevidamente para a abertura de contas bancárias, assim como na contratação de empréstimos.

0

A suspeita é de que os investigados realizavam as fraudes, inicialmente, a partir da utilização do Sistema de Gestão de Pessoas (Sigepe) do Executivo federal. As diligências seguem para que sejam localizadas outras vítimas e identificados eventuais integrantes do grupo criminoso.

Últimas notícias