PCDF identifica integrante do QG Rural acusado de ter ameaçado bispo

Suspeito foi ouvido na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central) e negou ter feito ameaças ao religioso, integrante da Cúria Metropolitana

Esplanada FechadaHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 29/06/2020 17:04

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) identificou o autor das ameças contra o bispo auxiliar de Brasília dom Marcony Vinícius Ferreira. Trata-se de um integrante do grupo QG Rural. O suspeito pretendia acampar nos arredores da Catedral Metropolitana na companhia de remanescentes dos grupo 300 do Brasil. Todos, porém, foram retirados do local após operação da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e do DF Legal, em 13 de junho.

O Metrópoles apurou que o suspeito foi ouvido na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central) na semana passada e negou que tivesse feito ameaças diretas ao bispo, integrante da Cúria Metropolitana, que fica na Catedral Nossa Senhora Aparecida. Mesmo com o autor das ameaças identificado, nem a Arquidiocese de Brasília nem o próprio religioso quiseram prestar queixa formal contra o homem que teceu as ameaças.

Com isso, as investigações serão encerradas caso não haja uma representação criminal. Logo que o autor das ameças foi identificado, a reportagem entrou em contato com a arquidiocese para saber o motivo pelo qual não houve o registro da ocorrência para que as investigações tenham andamento. No entanto, até a última atualização desta reportagem, a igreja não havia enviado um posicionamento oficial.

0

 

Fechamento da Esplanada

Na data em que as ameaças vieram a público, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), ordenou o fechamento da Esplanada dos Ministérios por dois dias. O bloqueio ocorreu em 16 e 17 de junho.

A medida foi oficializada por meio de decreto, após integrantes da inteligência do governo detectarem que remanescentes dos grupos 300 do Brasil  e do QG Rural haviam feito ameaças ao bispo. A ação foi uma resposta ao tom que parte dos manifestantes adotou no fim de semana de 16 de junho durante e depois dos protestos no centro de Brasília.

Últimas notícias