*
 

A reunião organizada pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB) para negociar o fim da greve dos vigilantes no Distrito Federal foi cancelada. O encontro estava marcado para começar às 18h30, no Palácio do Buriti, mas integrantes do Executivo local adiaram o evento devido à ausência do sindicato patronal.

Uma comissão formada por integrantes da categoria e pelo deputado Chico Vigilante (PT) chegou a entrar na sede do Executivo e ser recebida pelo governador, mas não houve avanços.

Rollemberg tentava reverter a paralisação de serviços públicos e privados devido à greve da categoria. Convidou representantes dos patrões e dos empregados para uma nova rodada de negociação, mas o Sindicato das Empresas de Segurança alegou que o chamamento foi feito em cima da hora.

“Recebi o convite por volta das 15h30, mas já tinha outro compromisso marcado para as 18h desta quarta (7). Pedimos que a Casa Civil antecipasse a reunião, mas não foi possível. Não fomos por incompatibilidade de agenda”, afirmou o presidente da entidade, Luiz Gustavo Barra.

Os vigilantes marcharam até o Palácio do Buriti durante a tarde. Eles saíram do Conic e pararam na Praça do Buriti, para uma nova assembleia à noite. Eles decidiram manter a paralisação.

 

A paralisação começou na última quinta-feira (1º/3). Na sexta (2), o Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região tentou acordo entre as partes, sem sucesso. Depois disso, a Justiça trabalhista mandou os vigilantes voltarem às atividades, ordem que vem sendo descumprida.

A categoria reivindica aumento de 7% e manutenção de todas as cláusulas da convenção coletiva. O movimento desses trabalhadores suspendeu as visitas em hospitais públicos e fechou monumentos como a Torre de TV e o Estádio Nacional Mané Garrincha, além de bancos públicos e privados.