Operação mira presos do Entorno do DF que tinham conexão com PCC

Foram cumpridos, nesta sexta (27/4), cinco mandados de prisão e cinco de busca e apreensão nas cadeias do Novo Gama e Águas Lindas

A Polícia Civil do DF deflagrou, nesta sexta-feira (27/4), a 2ª fase da Operação Prólogo. Desta vez, os agentes cumpriram cinco mandados de prisão e cinco de busca e apreensão nas cadeias públicas do Novo Gama e Águas Lindas, ambos municípios no Entorno do Distrito Federal.

Os alvos são internos desses presídios que se filiaram e tornaram-se membros do PCC. O objetivo é evitar que a facção criminosa crie uma célula nas cadeias do Entorno.

Durante a operação, foram apreendidos seis celulares, porções de maconha, comprimidos de Rupinol, além de mensagens e bilhetes com comandos de execução de crimes em vários estados. Os aparelhos seriam utilizados para a realização de teleconferências.

A suspeita é de que os presos tenham acesso aos celulares em momentos de visita. Pela proximidade dos presídios com a área residencial, alguns chegaram a ser arremessados dentro da unidade.
Os acusados foram indiciados por organização criminosa e podem pegar de três a oito anos.

Primeira fase
A primeira fase da operação foi deflagrada na terça (24) no Complexo Penitenciário da Papuda e teve como alvos detentos que tinham conexão com o  PCC, mas não conseguiram desenvolver uma célula da organização criminosa no Distrito Federal, segundo a corporação. Eles se correspondiam por meio de cartas com a hierarquia do comando.

As cartas saíam com os visitantes. A PCDF também investiga a suposta participação de advogados na troca de mensagens. Ao todo, foram cumpridos 13 mandados de prisão preventiva e 13 de busca e apreensão em 11 celas de quatro estabelecimentos prisionais da capital federal, todos no Complexo Penitenciário da Papuda  (CDP, CIR, PDF I e PDF II).

1/2
Mensagens apreendidas pela PCDF
Drogas apreendidas