Nova decisão do TRT reduz número de trens e aumenta espera por metrô

A partir desta terça-feira, brasilienses passarão a contar com 18 composições nos horários de pico, em vez das 22 que estavam em circulação

atualizado 07/05/2019 6:55

Daniel Ferreira/Metrópoles

Uma nova decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), publicada nesta segunda-feira (06/05/2019), vai reduzir a quantidade de trens em circulação durante a greve dos metroviários, inclusive nos horários de pico.

A deliberação ocorreu após a audiência de conciliação ter sido finalizada sem acordo entre a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) e o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários do Distrito Federal (Sindmetro-DF).

De acordo com a liminar assinada pela presidente da Corte, desembargadora Maria Regina Machado Guimarães, a partir da manhã dessa terça (07/05/2019), os brasilienses passarão a contar com apenas 18 vagões nos horários considerados de maior movimento (das 6h às 8h45 e das 16h45 às 19h30). Desde o começo da greve, eram 22 rodando nesses dois períodos.

A nova determinação também reduz o número de trens durante o horário chamado como “do vale”, fora do momentos de rush. Segundo a magistrada, nas demais horas, o Metrô-DF deverá rodar com 30% da capacidade, ou seja: de quatro a cinco trens, nos dias de semana e aos sábados. Aos domingos, não passará de três vagões, o que pode gerar uma espera de até uma hora para cada usuário.

A revisão da sentença desta segunda-feira seguiu o argumento do Sindmetro-DF de que haveria distorções nos números de trens em funcionamento apresentados pelo Metrô-DF.

“Aliás, a greve deflagrada pelo requerido não está representando o legítimo instrumento de pressão da categoria profissional, tanto que a empresa requerente, na assentada realizada na data de hoje neste egrégio Tribunal, retirou a proposta formulada na audiência anterior e se recusou a retomar as negociações com o requerido”, afirmou a magistrada na sentença.

Suspensão de férias
Com a nova decisão proferida pelo TRT, o Metrô-DF decidiu suspender férias de funcionários “que se iniciem a partir do dia 8 de maio, até o fim do movimento paredista, tendo em vista os impactos operacionais da greve junto à população do Distrito Federal”. Além disso, a companhia paralisa também a concessão de abonos, recessos e folgas durante o período do movimento.

“Para garantir o funcionamento minimamente adequado da companhia durante o período de greve dos metroviários, férias e abonos que ainda não foram iniciados estão temporariamente suspensos, por decisão da diretoria colegiada da empresa””, confirmou o Metrô-DF em nota enviada à reportagem.

Veja os novos horários em vigor:

Segunda a sábado
Das 5h30 às 23h30, de segunda a sábado
Das 7h às 19h, aos domingos
Todas as estações estarão abertas para embarque e desembarque

Horário de pico
Segunda a sexta: 18 trens
Das 6h às 8h45
Das 16h45 às 19h30
Nos demais horários, entre quatro e cinco trens

Horário de pico
Sábado: cinco trens
Das 6h às 9h45
Das 17h às 19h15
Nos demais horários, de três a quatro trens

Domingo: três trens
Das 7h às 19h

Veja o documento:

Reprodução
Documento assinado pelo Conselho do Metrô-DF suspende afastamento de servidores

Últimas notícias