Os bastidores da cobertura policial de um jeito que você nunca viu

Surgem detalhes perturbadores sobre morte de técnico em enfermagem

Policiais perceberam que o criminoso espalhou borra de café entre o chão e o batente das portas na tentativa de esconder o cheiro do cadáver

atualizado 01/07/2022 10:45

Reprodução

Três meses após o assassinato brutal do técnico de enfermagem André Lopes de Barros, 31 anos, a audiência de instrução e julgamento do caso revelou detalhes macabros do latrocínio praticado por Allan Soares Bezerra, em 1º de abril deste ano, em Ceilândia. Entre outras atrocidades, a vítima foi encontrada sem roupas e deitada na cama com o quadril elevado em posição sexual. André estava com braços e pernas amarrados com fios e o ânus apresentava muitos ferimentos.

Testemunhas que encontraram o corpo do profissional de saúde após desconfiarem de seu desaparecimento narraram, durante a audiência, que o local estava revirado. Havia um forte cheiro de putrefação misturado a um odor de café. Mais tarde, investigadores da Polícia Civil perceberam que o criminoso espalhou borra de café entre o chão e o batente das portas do apartamento na tentativa de disfarçar o cheiro do cadáver. Havia água no chão e a geladeira estava aberta com intuito de resfriar o ambiente.

Em depoimento, um dos policiais ouvidos na audiência afirmou ter visto, poucas vezes, uma cena de crime tão perturbadora. Além disso, o chão da casa havia sido lavado, e várias bitucas de cigarro foram jogadas no chão — André não fumava. Roupas de diversos tamanhos também estavam espalhadas.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

Objetos roubados

De acordo com as investigações, após torturar e matar a vítima, o criminoso roubou celular, notebook e um aparelho de medir a pressão arterial. O telefone foi localizado em poder de um receptador, que revelou ter comprado o aparelho de um homem que estava com o nariz machucado.

Dez dias após o crime, o suspeito foi localizado em Unaí (MG), após a divulgação de imagens de câmeras de segurança do bar, no dia do crime. No vídeo, o homem caminhava tranquilamente pelo local. Segundo vizinhos da vítima, André havia sido visto pela última vez na sexta-feira à noite, antes de sair para uma festa.

Quer ficar ligado em tudo o que rola no quadradinho? Siga o perfil do Metrópoles DF no Instagram.

Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre o Distrito Federal por meio do WhatsApp do Metrópoles-DF: (61) 9119-8884.
Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

 

 

 

Mais lidas
Últimas notícias