Sem academia particular, Marcola “murcha” músculos em presídio federal

O 01 da facção criminosa Primeiro Comanda da Capital (PCC) faz exercício aeróbicos na companhia de Sérgio de Arruda Quintiliano, o Minotauro

Líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, tenta manter o foco e o preparo físico mesmo submetido ao Regime Disciplinar Diferenciado (RDD),  na Penitenciária Federal de Brasília, unidade de segurança máxima instalada em São Sebastião, desde 22 de março de 2019.

Antes de desembarcar em Brasília, o 01 da facção injetava esteroides e malhava com a ajuda de pesos e aparelhos de musculação para ganhar músculos. Com a rigidez do sistema, o preso de alta periculosidade mantém a forma fazendo exercícios aeróbicos e utilizando o peso do próprio corpo, como flexões de braços.

O primeiro na hierarquia do PCC costuma malhar na companhia de Sérgio de Arruda Quintiliano, o Minotauro. Ao contrário do chefe, bem mais magro, o outro condenado faz jus ao nome. Alto e musculoso, Minotauro era conhecido pela violência quando estava em liberdade.

Veja fotos de Marcola sendo escoltado pelas forças federais: 

1/6
Marcola é líder máximo do bando
Marcola cumpria pena na Penitenciária Federal de Brasília
Marcola já enfrentou problema de saúde e fez exames no Hospital de Base
Ele foi trazido ao DF em 2019
Marcos Willian Herbas Camacho, o Marcola, considerado o líder do PCC
Chegada do líder do PCC ao DF contou com forte esquema de segurança à época

Morte a coronel

Minotauro entrou para o PCC quando tentou, ainda em 2005, matar um coronel da Polícia Militar em Hortolândia, na região de Campinas, em São Paulo. Já em julho de 2006, ele acabou preso em uma chácara na cidade de Panorama com outros oito criminosos.

Dois meses antes, havia sido recrutado pela facção paulista para participar dos ataques às forças de segurança em São Paulo, no episódio conhecido como “Crimes de Maio”.  A missão de Minotauro era ajudar o PCC a ter a hegemonia do tráfico de drogas na fronteira.

O criminoso acabou detido em fevereiro de 2019, em Balneário Camboriú em Santa Catarina. Minotauro tinha massagista, piloto de avião, governanta, diarista para cuidar de sua família.

Dieta

Tanto Marcola quanto Minotauro e outros presos de alta periculosidade que cumprem regime RDD na penitenciária federal tem direito a seis refeições diárias e balanceadas, entre elas o desjejum, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. A coluna teve acesso ao cardápio completo servido nas celas individuais.

Na primeira refeição do dia, os chefes da facção comem pão, manteiga ou queijo, leite e café com açúcar. No lanche da manhã é servido uma fruta da estação e no almoço, a refeição conta com arroz ou macarrão e vegetais, feijão, carne branca ou vermelha, além de legumes e salada.

No lanche da tarde é servido biscoito doce ou salgado, margarina ou bolo e suco. No jantar repete-se o cardápio do almoço e na ceia é servido pão, margarina e leite.