Os bastidores da cobertura policial de um jeito que você nunca viu

Homem diz que beberia sangue e “Deus sabia” motivo de morte de Brenda

Depois da execução, o autor colocou uma músicas religiosas e passou a entoar cantos em línguas estranhas. Brenda Silva morreu com 22 facadas

atualizado 29/08/2022 16:46

Reprodução

Detalhes macabros e relatos estarrecedores foram colhidos por investigadores da 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia), após a prisão dos suspeitos de esfaquear, estuprar e carbonizar Brenda Pinheiro da Silva, 26 anos, em maio deste ano. O corpo dela foi encontrado em um matagal, próximo à quadra QR 427. Um dos criminosos disse aos policiais que beberia o sangue da mulher e que “Deus sabia” porque ele tinha que matar a vítima.

Os investigadores apuraram que o executor matou Brenda com golpes de peixeira, na cozinha de sua casa.  Depois da execução, o criminoso colocou uma música evangélica e passou entoar cantos em línguas estranhas. “Enquanto era golpeada, a vítima implorava pela vida, pedindo clemência ao executor, pois dizia a ele que tinha três filhos para criar”, disse o delegado adjunto da 26ª DP, Rodrigo Carbone.

De forma fria, o criminoso contou, ainda, que após a vítima morrer, ele ainda pisou na cabeça de Brenda diversas vezes, enquanto a  xingava de “desgraçada”. “Com certeza foi um dos feminicídios mais brutais já ocorridos no DF nos últimos anos. A vítima não teve qualquer chance de defesa”, ressaltou.

Veja imagens da vítima:

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

A operação

A 26ª DP deflagrou a “Operação Tormentum”, na última sexta-feira (26/8), para dar cumprimento a três mandados de prisão preventiva e oito mandados de busca e apreensão. Os alvos da operação são homens acusados de estuprar e assassinar Brenda com 22 facadas.

De acordo com a PCDF, os autores ainda esquartejaram o corpo, cortando as duas mãos da vítima para dificultar a identificação. Por fim, atearam fogo no cadáver e o abandonaram em um matagal de Samambaia.

Toda a parte inferior do corpo da mulher estava completamente carbonizada, indicando que o fogo teria começado pelas pernas. Peritos do instituto de Criminalística (IC) foram acionados para fazer a perícia no local do crime.

Veja imagens do local em que o corpo foi encontrado:

Mais lidas
Últimas notícias