Morre psicóloga do DF que ajudou a construir a Lei da Reforma Psiquiátrica

Juliana Garcia Pacheco, de 43 anos, sofreu uma parada cardiorrespiratória antes de fazer uma cirurgia

Psicóloga JulianaReprodução/Vídeo

atualizado 30/06/2020 19:44

Morreu, aos 43 anos, a psicóloga Juliana Garcia Pacheco (foto em destaque). Mestre e doutora pela Universidade de Brasília (UnB), ela ficou conhecida na militância da luta antimanicomial no Distrito Federal.

Juliana morreu após sofrer uma parada cardiorrespiratória enquanto aguardava para realizar cirurgia, nessa segunda-feira (29/06).

Descrita pelos colegas de profissão como dona de uma “inteligência inquieta”, a psicóloga atuou como residente de saúde mental no ano 2000, quando no DF não tinha nenhum Centro de Atenção Psicossocial (Caps).

Juliana também teve participação direta na construção da Lei da Reforma Psiquiátrica. O texto dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas com transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental.

Em nota, o Conselho Regional de Psicologia do DF (CRP-DF) lamentou a perda precoce da profissional. “Defensora inconteste das políticas públicas de saúde, Juliana deixa o campo da saúde mental cedo demais; deixa trabalhadoras e trabalhadores, usuários e seus familiares e diversos militantes na tarefa de prosseguir a luta pelo cuidado digno no Distrito Federal e no Brasil”, disse a entidade.

 

Últimas notícias