*
 

Dor e emoção marcaram o enterro da brasiliense Ludimila Oliveira Barbosa, 40 anos, nesta quarta-feira (5/12), no Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul. Ela morreu na terça (4), na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral de Palmas (HGP).

No domingo (2), Ludimila foi atingida por uma lancha do Corpo de Bombeiros durante tentativa de resgate enquanto participava da 6ª etapa do circuito estadual de Maratona Aquática do Tocantins.

Segundo informações da corporação, a hélice do motor da lancha atingiu a perna da atleta. Ela teria pedido para ser retirada da água após desistir da prova durante uma forte chuva. A vítima foi levada ao HGP, onde passou por cirurgia de amputação do pé e estava internada em estado grave.

 

Antes do enterro, o marido de Ludimila levou a filha mais nova do casal até o caixão para se despedir. No caminho, explicou à pequena, de 5 anos: “Mamãe, agora, tá no céu”.

Uma amiga da família contou ao Metrópoles que Ludimila era de Brasília, mas morava em Palmas há alguns anos. A triatleta e orientadora educacional no Centro Municipal de Educação Infantil João e Maria deixou marido e dois filhos.

O comando dos bombeiros lamentou o ocorrido e disse que “todos os procedimentos necessários para preservação da vida e elucidação dos fatos foram, e estão sendo, tomados”.

A Federação Aquática do Tocantins (Faeto) afirmou que todas as provas respeitam as regras internacionais e nacionais de segurança na água. A Marinha do Brasil e a Polícia Civil do Tocantins instauraram inquérito para investigar o acidente.