Justiça manda dono de faculdade acusado de integrar máfia ficar preso

Durante Operação Panoptes, policiais acharam arma e carro roubado na casa do dono do Instituto Nacional de Ensino Especial

Johann Gutemberg dos Santos, preso nesta segunda-feira (21/8) na Operação Panoptes, deflagrada pela Divisão Especial de Repressão ao Crime Organizado (Deco), passou por audiência de custódia na manhã desta terça (22). Diferentemente dos outros três detidos, ele foi submetido à audiência porque os policiais encontraram, no momento das buscas, um carro roubado e uma arma na residência dele.

Apesar de ter uma fiança de R$ 3 mil arbitrada pela juíza substituta Lorena Alves Campos, Johann não teve o direito de responder em liberdade. Isso porque já tinha outra prisão preventiva decretada  pela Vara Criminal de Águas Claras no âmbito da Operação Panoptes.

1/9
Coletiva dos delegados da Deco sobre a Máfia dos Concursos em agosto deste ano
Bruno Ortiz, filho de Helio, preso no dia 21 de agosto
Operação para deter a Máfia dos Concursos
Helio Ortiz é um velho conhecido da polícia. Ele foi preso em 2005 e em 2009
Ortiz foi preso em casa, na QE 15 do Guará II
Dez escrivães, 25 delegados e 150 agentes, incluindo grupo de operações especiais e helicóptero, participaram da operação
Equipes da PCDF chegam ao Cebraspe/Cespe, onde foi cumprido mandado de busca e apreensão
Movimento intenso no Cebraspe/Cespe
São investigados concursos realizados nos últimos cinco anos

Johann Gutemberg é dono do Instituto Nacional de Ensino Especial, faculdade que funciona em Taguatinga. A suspeita é de que a instituição providenciava diplomas de curso superior e de pós-graduação para os candidatos que não cumpriam essa exigência do concurso.

A organização criminosa investigada pela Deco agia aliciando candidatos e cobrando dinheiro para garantir vagas em certames. Estão sendo investigados outros concursos realizados nos últimos cinco anos, entre eles o da Secretaria de Educação e exames da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).