*
 

O Tribunal do Júri do Gama condenou, nesta quarta-feira (6/12), o policial militar de Goiás Yuri Rafael Rodrigues da Silva Miranda a 17 anos de reclusão. Ele responde pelo homicídio duplamente qualificado de Kássio Enrique Ribeiro de Souza (foto em destaque), segurança que trabalhava em uma casa de festas no Setor Leste da cidade. O crime aconteceu em 23 de outubro de 2016 e teve grande repercussão.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o réu agiu com motivação fútil: ele foi repreendido pela vítima, no estacionamento do local, porque havia parado o carro de maneira irregular. O crime também foi praticado mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, pois o denunciado atraiu o segurança para próximo ao veículo em que se encontrava, quando então passou a atirar nele.

Além da prisão, Yuri foi condenado à perda do cargo público de policial militar. “O réu demonstrou que não possui condições para permanecer no exercício da função”, diz trecho da sentença. Assim, ocorrendo o trânsito em julgado, a corporação em que está lotado o acusado e o comando da Polícia Militar de Goiás serão notificados da decisão.

Entenda o caso
Na madrugada de 23 de outubro do ano passado, Yuri Rafael tentava entrar em uma casa de festas no Setor Leste do Gama. Como o evento estava encerrando, seu ingresso foi negado. O segurança chamou a atenção do PM, pois seu carro estava atravessado em frente à saída do local.

Yuri reagiu com xingamentos e, quando a vítima se aproximou do veículo, foi surpreendida com disparos em sua direção, os quais lhe causaram a morte. Pessoas no local impediram a fuga do acusado, que teve a prisão decretada. (Com informações do MPDFT)

 

 

COMENTE

comunicar erro à redação

Leia mais: Justiça