Acusado de participar do homicídio do namorado da mãe, Dickson de Souza Cruz foi condenado a 16 anos de prisão pelo Tribunal do Júri de Ceilândia. A pena deve ser cumprida inicialmente em regime fechado.

O crime ocorreu em 7 de junho de 2013, em um bar de Ceilândia Norte. De acordo com a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), por volta das 20h, um homem teria atirado contra a vítima e Dickson prestou auxílio material e moral ao atirador.

Conforme a denúncia, Dickson conduziu o outro suspeito ao local do crime a bordo de uma bicicleta e ainda deu cobertura e fuga a ele. Para o MP, o assassinato ocorreu por motivo torpe – em razão da insatisfação de Dickson com o relacionamento afetivo entre a vítima e a mãe dele – e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, atingida de surpresa.

O juiz negou ao réu direito de recorrer em liberdade, sob justificativa de garantir a ordem pública por conta da gravidade dos fatos e da ficha criminal do condenado: reincidente em tráfico, acusado de tentativa de homicídio e ameaça a testemunhas.

Os jurados absolveram o denunciado pelo MPDFT como atirador porque não foi comprovado que ele seria o autor dos disparos que levaram a vítima à morte.