*
 

O homem acusado de estuprar três mulheres em um bar no Setor de Oficinas Norte (SOFN), entre elas uma grávida de quatro meses, vai ficar preso preventivamente. A decisão foi tomada pela Justiça nesta sexta-feira (5/10), durante audiência de custódia.

De acordo com a juíza Lorena Alves Ocampos, Francisco Mailson Machado, 28 anos, é acusado de “fato gravíssimo”, portanto sua prisão é necessária. Disse também que o modus operandi adotado na execução do delito retrata a periculosidade do acusado.

“Segundo consta, o autor abordou as vítimas no estabelecimento comercial e, com emprego de facão, subtraiu bens, ameaçou e exigiu que praticassem sexo com ele. Alguns atos libidinosos ocorreram. É preciso ressaltar que uma delas está grávida e, no momento e após o ato, ficou muito abalada com a situação”, destacou a magistrada, em sua decisão.

O acusado foi mantido algemado durante a audiência de custódia. Ainda de acordo com a juíza, a alegação de que o réu tem residência fixa, família constituída e ocupação lícita, mesmo se confirmada, não é suficiente para barrar a prisão preventiva.

O caso foi revelado nessa quinta (4) pelo Metrópoles. Francisco foi preso após invadir o bar, ameaçar, estuprar e abusar das mulheres. As vítimas estavam conversando, por volta das 21h30, segundo contaram à polícia, quando ele invadiu o local e anunciou o assalto, armado com um facão.

Por cerca de 40 minutos, ele manteve relação sexual com uma, fez a outra chupar o pênis dele, e a terceira, grávida de quatro meses, foi obrigada a masturbá-lo. Após os momentos de terror, elas conseguiram fugir do tarado e pedir socorro aos vizinhos. O homem quase foi linchado até a chegada da Polícia Militar.

De acordo com as vítimas, ao invadir o imóvel, o homem recolheu objetos de valor, entre eles os celulares delas, e os colocou em uma bolsa. Depois se virou e gritou que queria transar. Ele mandou a grávida e a outra mulher entrarem em um dos quartos.

À terceira vítima, ordenou tirar a roupa e a estuprou em outro ambiente da casa. Após a violência, ele a proibiu de se vestir, pois ia “aproveitar o corpo dela, porque ela era muito gostosa”. Chegou a gritar que “não tinha nada a perder nessa vida”.

Depois, mandou a outra mulher trancada no quarto tirar a roupa. Após a negativa, ele ameaçou matá-la com o facão. Chegou a falar que cortaria os bicos dos seios e a cabeça dela. Como a vítima mesmo assim resistiu, ele a obrigou a chupar o pênis dele. Não satisfeito, voltou ao recinto onde estava a grávida para ela masturbá-lo.

Num momento em que o homem deixou o facão de lado, as mulheres entraram em luta corporal com ele e uma delas conseguiu sair na rua, mesmo nua, e pediu ajuda aos vizinhos. Assustado, o tarado pegou a bolsa com os objetos roubados e fugiu. Mas acabou sendo pego e foi espancado até a chegada da Polícia Militar.

Ferido, foi levado ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e depois encaminhado para a delegacia, onde ficou em silêncio.

Em choque, as mulheres contaram aos policiais que o homem era “muito cruel” e ameaçava matá-las, pois já tinha cometido dois assassinatos no Ceará, de onde tinha vindo. Uma das vítimas chegou a ficar ferida pelo facão. As mulheres também precisaram de atendimento médico e receberam tratamento profilático em razão da violência sexual.

De acordo com a lei, não é necessário haver penetração forçada para se caracterizar estupro. O crime consiste em “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”.