*
 

Quase nove meses depois de cometer um crime que chocou o Recanto das Emas, Gutemberg Alves de Souza foi condenado, nesta terça-feira (4/10), a 21 anos de reclusão por homicídio triplamente qualificado. Gutemberg diz que atirou em José Juraci Moreira Costa porque achava que a vítima era policial. No entanto, o homem evangelizava a comunidade local.

O crime ocorreu em 25 de janeiro deste ano, na Quadra 307 do Recanto das Emas. O júri acatou todas as qualificadoras defendidas pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT): motivo torpe, uma vez que o réu disparou pelo simples fato de achar que a vítima era policial; recurso que dificultou a defesa da vítima, que foi surpreendida pela ação; e vontade de matar qualquer integrante das forças de segurança pública, no caso, um policial.

A defesa do réu sustentou a tese de exclusão das qualificadoras, no entanto, o conselho de sentença, composto por sete cidadãos brasilienses, acolheu na íntegra a denúncia do MPDFT. Gutemberg, 22 anos, foi preso um dia depois de cometer o crime. Agora, com a condenação, não poderá recorrer da sentença em liberdade.

Entenda o caso
No fim da tarde de 23 de janeiro de 2016, José Juraci Moreira Costa estava com outra pessoa em um carro indo de casa em casa para evangelizar na região. Gutemberg estava de bicicleta e teria abordado o veículo perguntando se o motorista era policial. Mesmo com a resposta negativa, o suspeito atirou na cabeça do religioso. A vítima chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros, mas morreu no local. (Com informações do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios)

 

 

COMENTE

Recanto das Emaspolicialcondenaçãocrime torpereligioso
comunicar erro à redação

Leia mais: Justiça