Homem é condenado a 18 anos de prisão por matar ex com 40 facadas

Júri considerou que assassino cometeu feminicídio, não deu chance de defesa à vítima e utilizou-se de meio cruel

iStock/Foto IlustrativaiStock/Foto Ilustrativa

atualizado 04/05/2018 20:53

Assassino confesso da ex-namorada Flávia da Silva, Daivson Feitosa Campos foi considerado culpado pelo Tribunal do Júri e condenado a 18 anos de prisão em regime fechado pelo crime de homicídio triplamente qualificado.

Em 2016, o rapaz deu 40 facadas na ex após uma discussão. A juíza do caso, Delma Santos Ribeiro, entendeu que Daivson não deu chance de defesa à vítima, utilizou-se de meio cruel e recebeu o agravante de o crime ter sido praticado contra uma mulher, o que caracteriza feminicídio.

Durante o processo, a defesa chegou a solicitar a absolvição do réu alegando legítima defesa e pediu que o caso não fosse tratado como homicídio qualificado. Os jurados não aceitaram a tese da defesa e mantiveram a condenação conforme os argumentos apontados pela denúncia do Ministério Público do DF (MPDFT).

Relembre o caso
O crime ocorreu na manhã do dia 9 de novembro de 2016, em uma casa de fundos na QE 38 do Guará II. Durante uma discussão, o homem pegou uma faca e desferiu 40 facadas contra Flávia e fugiu do local. Durante a oitiva das testemunhas, a própria mãe de Daivson se recusou a dar declarações em favor do filho.

Na noite anterior ao crime, o homem foi visto bebendo com a vítima. Vizinhos disseram aos policiais que chegaram a ouvir a discussão do casal durante a madrugada e que as brigas entre os dois eram comuns.

Por volta das 6h, moradores da casa em frente escutaram pedidos de ajuda. Quando chegaram ao local, se depararam com o homem em fuga e a mulher ensanguentada sobre a cama, ainda com vida. Uma vizinha chegou a pedir socorro, mas Flávia já havia morrido quando a equipe médica chegou.

Últimas notícias