Ibaneis: DF começa a vacinar adolescentes de 13 anos contra Covid na terça (21/9)

Governo planejava iniciar a imunização deste grupo na sexta-feira (17/9), mas suspendeu a decisão após recomendação do Ministério da Saúde

O Distrito Federal vai retomar a vacinação contra Covid-19 dos adolescentes com 13 anos na terça-feira (21/9). O governador Ibaneis Rocha (MDB) fez o anúncio pelas redes sociais neste sábado (18/9).

“Bom dia! Informo a todos que vamos manter no DF a vacinação dos adolescentes. Adolescentes de 13 anos serão vacinados a partir de terça (21)”, avisou Ibaneis pelo Twitter.

Veja o post:

Segundo o titular do Palácio do Buriti, a decisão do Governo do Distrito Federal (GDF) e da Secretaria de Saúde do DF tem respaldo técnico das instituições representativas participantes do processo de imunização do país.

“Entre elas, o Conass, Conasems, a Sociedade Brasileira de Imunizações, Sociedade Brasileira de Infectologia e Sociedade Brasileira de Pediatria. E também a Anvisa, órgão regulador que autorizou a vacinação contra covid-19 em adolescentes de 12 a 17 anos com o imunizante da Pfizer”, argumentou o emedebista.

O GDF planejava começar a vacinação dos adolescentes de 13 anos na sexta-feira (17/9). Mas recuou após o Ministério da Saúde ter recomendado parar a imunização de jovens menores de 18 anos, sem comorbidades. Por outro lado, o governo local manteve a imunização de adolescentes de 14 a 17 anos.

Ibaneis pontuou ainda que o DF começará a aplicar a dose de reforço para os idosos. “Também a partir de terça terá início a vacinação com dose de reforço para os idosos que vivem em Instituições de Longa Permanência”, assinalou.

Governo federal recomenda não vacinar

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou, na tarde de quinta-feira (16/9), que foram registrados cerca de 1,5 mil eventos adversos à vacina e atribuiu a suspensão da campanha ao que chamou de “desorganização” dos estados e municípios. Ele ainda enfatizou que há casos em que imunizantes da AstraZeneca, Coronavac e Janssen foram aplicados nesse público.

“Falei de maneira reiterada sobre a importância de se observar as recomendações do PNI. Temos um país continental, 26 estados, DF, 5.570 municípios. Precisamos falar o mesmo idioma, a mesma língua, senão não vamos progredir. Se cada um quiser falar uma língua, não vamos nos entender”, frisou.