GDF inicia recadastramento de servidores da Educação no sábado

Atualização dos dados é obrigatória para todos da pasta, incluindo comissionados e funcionários de férias. Prazo vai até 30 de abril

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 14/02/2020 18:43

Chegou a hora de os servidores ativos da Secretaria de Educação do Distrito Federal atualizarem seus dados no governo. A partir deste sábado (15/02/2020), todos os funcionários efetivos e comissionados da pasta devem preencher seus dados para evitar problemas que podem iniciar com um processo administrativo e chegar ao bloqueio dos salários no fim do mês. O prazo para a acessar o Sistema de Recadastramento, Complementação e Atualização de Dados (Recad) vai até 30 de abril.

O recadastramento deve ser realizado também por integrantes da Fundação Universidade Aberta do Distrito Federal (Funab), incluindo servidores afastados, licenciados, de férias ou cedidos a outros Poderes ou entes da Federação. As definições sobre quem deve se recadastrar estão no Artigo 2º, da Portaria nº 256, de 5 de agosto de 2019.

A atualização dos dados do Sistema Único de Gestão de Recursos Humanos (Sigrh) não é feita desde 2011, quando foi realizado o último recenseamento. Todo o processo pode ser feito de qualquer computador ligado à internet, no próprio ambiente de trabalho ou em casa. O sistema usa a mesma senha de acesso virtual ao contracheque. Caso o servidor tenha esquecido o login ou a senha, basta entrar na página de acesso ao contracheque e clicar na opção “Esqueceu ou bloqueou sua senha?” e solicitar uma nova.

Novo sistema

Segundo a Secretaria de Economia, o recadastramento “é fundamental para que os servidores mantenham seus dados pessoais sempre atualizados junto ao órgão em que trabalham”. O GDF também prepara novo sistema de gestão de pessoas e, por isso, precisa da atualização dos dados dos servidores para confecção das folhas de pagamento.

O servidor que não conseguir preencher o cadastro no prazo estipulado deve comunicar à chefia do órgão e, desde que apresente as justificativas, poderá atualizar as informações posteriormente.

No total, o GDF espera contabilizar os 130 mil servidores em nove meses.

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias