*
 

Após seis meses de investigações, a Polícia Civil do Distrito Federal prendeu, nesta terça-feira (26/9), dois homens acusados de estelionato, associação criminosa e apropriação indébita. Um dos principais golpes aplicados pela dupla era a venda de imóveis que não pertenciam a eles. As fraudes causaram prejuízo estimado em R$ 4 milhões.

Com um contrato de cessão de direitos ou procuração, os criminosos vendiam os bens e, somente após a finalização das negociações, é que os compradores descobriam tratar-se de um golpe.  “Dezenas de pessoas foram vítimas desses criminosos”, destaca o delegado-chefe da 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina), Edson Medina.

As detenções ocorreram em cumprimento a mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão expedidos pela Justiça. Durante a operação, batizada de Gárano (nome dado ao ladrão dos bois de Hércules), os agentes apreenderam vários documentos, além de uma pistola, calibre .380.

Os autores, que já respondem a 20 ações cíveis, estão presos à disposição da Justiça.