Turistas ignoram Covid-19, lotam Chapada dos Veadeiros e moradores reclamam

Há registro de falta de água na região devido à grande quantidade de turistas que foram ao local no feriado prolongado de 7 de Setembro

atualizado 07/09/2020 11:19

Lotação na Chapada dos Veadeiros durante a pandemia de coronavírusMaterial cedido ao Metrópoles

Apesar de todas as recomendações de autoridades sanitárias mundiais para se evitar a disseminação do coronavírus, turistas desrespeitaram o isolamento social e lotaram as cidades turísticas próximas a Brasília neste feriado prolongado de 7 de Setembro. Moradores dos municípios de Alto Paraíso e São Jorge, na Chapada dos Veadeiros , fizeram postagens nas redes sociais denunciando o descaso dos visitantes com a pandemia.

Todas as atrações na Chapada, como cachoeiras, parques e restaurantes, estavam fechadas desde março, na intenção de frear a contaminação do novo coronavírus na região. Porém, desde 18 de agosto, após um decreto municipal, as atividades no município de Alto Paraíso (GO) foram autorizadas a iniciar a retomada.

O prefeito Martinho Mendes da Silva assinou decreto que libera atividades econômicas e não econômicas na região. Como a Vila de São Jorge faz parte do município – e pertence igualmente à Região Integrada de Desenvolvimento do Entorno do DF (Ride) –, a regra também vale para as atrações do local.

É na Vila de São Jorge que está o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, conhecido por atrativos como Corredeiras, Carioquinhas, Carrossel, Seriema, Sete Quedas, Saltos do Garimpão e de 120 metros.

Havia, no entanto, a recomendação: tanto a reabertura dos locais quanto a ida de turistas à região deveriam ser escalonadas, a fim de não provocar uma superlotação na região. Foi em vão. Neste feriado prolongado, moradores denunciam o descaso de visitantes com as regras impostas pela Secretaria de Turismo, como o uso de máscara, principalmente.

0

Nas redes sociais, moradores e empresários dos municípios goianos delatam, em imagens, a falta de respeito. Segundo eles, a praça principal de Alto Paraíso tem ficado lotada desde sexta-feira, início dos dias de descanso. “Ninguém usa máscara. Isso é um absurdo. É muita falta de empatia com o próximo”, denuncia uma empresária, que pediu para não ser identificada.

A mulher denuncia, ainda, a falta d’água, em decorrência da horda de turistas que invadiu a cidade. “Em meio à pandemia, moradores do bairro Novo Horizonte estão ficando sem água o dia praticamente todo. É um absurdo”, diz.

As cachoeiras e o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros voltaram a funcionar, após quatro meses fechados. Contudo, para fazer as trilhas do parque, turistas deveriam seguir uma série de medidas, como o uso obrigatório de máscaras de proteção. Não é o que acontece, segundo moradores e guias turísticos.

Na Catarata dos Couros (foto em destaque), uma das cachoeiras mais procuradas da região – que fica fora do Parque – mais aglomeração e descaso. Até máscaras eram encontradas jogadas nas quedas d’água.

Segundo o decreto, o não cumprimento das obrigações previstas no Termo de Compromisso e Ajuste de Conduta (TCAC), assinados por empresários da região, acarretará a suspensão imediata do funcionamento do atrativo turístico. As regras de higienização, disponibilização de álcool em gel e liberação de atrativos dentro dos hotéis devem ser seguidas à risca.

Procurado pelo Metrópoles, o secretário de Turismo do município de Alto Paraíso, Moisés Neto, disse que só falaria por meio de sua assessoria de imprensa. No entanto, diante da insistência por uma declaração, Neto se pronunciou. “Estou fora da cidade agora, mas soube que está tudo sob controle”, finalizou.

Leia o decreto municipal que liberou a volta das atividades:

Últimas notícias