Entorno do DF: acusado diz ter matado jovem em escola por “ódio”

Misael Pereira de Olair é acusado de assassinar Raphaella Noviski Roman, em Alexânia. Júri teve início nesta quarta-feira (22/01/2020)

atualizado 22/01/2020 20:01

Michael Melo/Metrópoles

Misael Pereira de Olair, acusado de matar Raphaella Noviski Roman, de 17 anos, dentro da Escola Estadual 13 de Maio, em 2017, começou a ser julgado nesta quarta-feira (22/01/2020). Na Comarca de Alexânia (GO), ele se negou a responder questionamentos da acusação e do juiz. No entanto falou quando perguntado pela defesa.

“Fiz por tristeza e ódio: ódio da minha vida e ódio da Raphaella”, afirmou. Segundo depoimento, Misael disse escutar vozes e que deixou a escola um ano antes porque já sabia que cometeria o crime. No entanto deixou claro que não obedeceu às vozes na hora de matar Raphaella.

Também respondeu que se arrepende do feminicídio, mas que não falaria nada para os familiares e amigos da vítima por não ser “o momento”.

O réu enfrenta júri popular por homicídio qualificado, por motivo torpe, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e por razões da condição do sexo feminino (feminicídio). O motivo do crime seria a negativa da jovem em namorar o acusado.

No dia 6 de novembro de 2017, por volta das 8h da manhã, Misael pulou o muro do Colégio Estadual 13 de Maio, em Alexânia (GO). De máscara e capuz na cabeça, sacou o revólver calibre .32, comprado por R$ 2,3 mil, e disparou 11 tiros no rosto da vítima. Depois, fugiu também saltando uma parede.

Últimas notícias