*
 

Uma escritora e designer gráfica denunciou um caso de agressão pelo Facebook no último sábado (31/3). Na postagem, Inara Régia Cardoso, 23 anos, relata os momentos de tensão que passou enquanto vendia revistas no evento “O Futuro é Feminino”, no evento da loja colaborativa Endossa Brasília, na Asa Sul. A Delegacia Especial de Atendimento a Mulher (Deam) investiga o caso.

De acordo com Inara, Leonardo Gomes Carmo Pereira, 33, teria se irritado com o conteúdo de uma de fanzines – revistas autorais que traziam charges e sátiras sobre temáticas religiosas. “Ele perguntou se eu não me envergonhava de estar fazendo aquele trabalho. Respondi que não”, conta.

Segundo ela, revoltado, Leonardo teria pegado três revistas da estante em que as fanzines estavam expostas e caminhou em direção à porta da loja. Foi quando ela, ao ver que o homem estava saindo sem pagar, decidiu confrontá-lo e levou um empurrão. “Ele virou pra mim com o punho fechado e mandou eu puxar a camisa dele de novo para eu ver o que aconteceria. Fiquei em choque, mas não recuei e ele me empurrou com força no chão”, afirma.

A escritora ainda conta que a mãe de Leonardo, Keith Gomes do Carmo, aluga um dos espaços oferecidos pela loja e teria lhe oferecido uma indenização para que Inara não denunciasse o homem. “Me perguntou se eu não queria uma indenização para não registrar o Boletim de Ocorrência, mas não aceitei e fui para a Delegacia da Mulher (Deam)”.

Outro lado
Keith Gomes disse à reportagem que a versão dada por Inara não procede. “Não se sustenta com a realidade. Não houve agressão”, assegura. Segundo ela, a jovem teria se desequilibrado e caído e todo o episódio “foi resolvido de maneira tranquila”.

A mãe de Leonardo ainda disse que não foi oferecida à vítima nenhum tipo de indenização. “Perguntei se ela queria que eu ressarcisse as revistas que meu filho pegou e cheguei a me oferecer para comprar todas”, explica.

A reportagem tentou contato com Leonardo Carmo Pereira, mas até a última atualização desta reportagem, ele não se pronunciou.