Mercados aderem ao delivery. Veja onde comprar sem sair de casa

Demanda tem aumentado em decorrência do medo de contaminação pelo novo coronavírus. Em algumas redes, pedidos cresceram quase 7 vezes

Pessoa faz compras em super mercadoIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 25/03/2020 13:09

Com cada vez menos pessoas saindo de casa até mesmo para realizar compras básicas em decorrência do risco de contaminação pelo novo coronavírus, a modalidade de entregas em domicílio tem sido mais requisitada no Distrito Federal. O delivery de supermercados é um serviço que já existia, mas a nova demanda tem desafiado as redes.

Gilmar Pereira, presidente da Associação de Supermercados de Brasília (Asbra), conta que ainda são poucos os estabelecimentos que têm um sistema consolidado de entregas e o aumento nos pedidos mudou a forma de os supermercados atenderem.

“Em abril, quando se espera o pico da doença, imagino que irá acontecer uma realocação grande de funcionários. Com menos gente comprando presencialmente, os atendentes passarão a ajudar nas entregas”, projeta.

Para ele, a fase que os consumidores enfrentam neste momento deve influenciar muito o modo de fazer compras quando todos puderem voltar a sair de casa. “Será uma mudança de hábitos. Tudo que é on-line vai crescer neste momento e as compras, inclusive depois, vão ser feitas mais vezes pela internet”, comenta.

A realidade no momento, entretanto, ainda é complicada. Conforme conta o gerente-geral da rede de supermercados Super Veneza, Givanildo de Aguiar, o número de pedidos nos últimos dias aumentou em sete vezes. “Antes, fazíamos em média de 20 ou 30 entregas no mesmo dia. Agora, nós estamos com a agenda lotada até semana que vem”, expõe.

Tantos pedidos de delivery fizeram com que a rede precisasse suspender a parceria com o aplicativo Ifood e focasse apenas no próprio app. “Tivemos que escolher. Entrega em casa não é um processo fácil, pois eu preciso me colocar no seu lugar para escolher as coisas. É algo minucioso, que demanda um certo tempo”, explica.

Apesar da agenda lotada, Givanildo diz que o foco é aumentar a capacidade do serviço. “Vamos aumentar o número de pessoas trabalhando nisso, melhorar o aplicativo e, se for necessário, criar um turno de entrega à noite”, conta.

Onde comprar?

Para facilitar a pesquisa de supermercados que fazem o serviço de entrega em casa, o Metrópoles listou alguns estabelecimentos do DF que oferecem o serviço. Basta clicar no nome da marca e ser direcionado ao site.

Big Box – Site avisa que o prazo de entrega é de até 15 dias. Aplicativo disponível para Android e iOS.

Carrefour – É possível comprar tanto pelo site como pelo aplicativo de entrega Rappi, disponível para Android e iOS. A entrega é agendada e pode acontecer, no mínimo, duas horas depois do pagamento.

Comper – Há limite de compras de determinados produtos. Prazo de entrega é de até cinco dias.

Dona de Casa – Entregas pelo aplicativo da Rappi ou pelo telefone (61) 3246-4250.

Extra – É possível comprar tanto pelo aplicativo, disponível para Android e iOS, como no site de entrega. Pelo aumento da demanda, as entregas têm tido preferência para os incluídos no grupo de risco. Alguns produtos têm limite de compra por unidade.

Pão de Açúcar – Por ser do mesmo grupo que o Extra, a mesma preferência é dada a pessoas incluídas no grupo de risco. O aplicativo James, no iOS e Android,  também atende a rede.

Super Veneza – Disponível apenas pelo aplicativo da rede para Android e iOS.

Últimas notícias