Domingo será chuvoso, mas sem previsão de trovoadas no DF

Segundo o Inmet, ainda neste domingo (2/1), o alerta de chuvas intensas (laranja) reduzirá para o de atenção (amarelo)

atualizado 02/01/2022 9:53

Chuva em frente à CatedralJP Rodrigues/ Especial para o Metrópoles

O tempo no Distrito Federal ficará mais ameno neste domingo (2/1). De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o alerta de chuvas intensas (laranja) será alterado para o de atenção (amarelo). A previsão para o restante do dia é de chuvas contínuas, a qualquer hora do dia.

Segundo o meteorologista do Inmet Heráclio Alves, as chuvas das próximas 24h serão menos intensas. “O DF ficará em estado de atenção. Chove a qualquer hora do dia, mas não é aquela chuva de trovoadas, de pancadas”, prevê.

0

O aviso laranja ainda vale até as 11h deste domingo e prevê chuva entre 30mm/h e 60mm/h, ou 50mm/dia e 100mm/dia, com ventos de 60km/h a 100km/h. Além de risco de corte de energia elétrica, há possibilidade de queda de galhos de árvores, alagamentos e descargas elétricas.

Ao longo do último mês do ano passado, moradores da capital federal enfrentaram alagamentos em diversos pontos do DF em decorrência do grande volume de chuvas previsto para o período.

No início de dezembro, o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) flagrou, nas tesourinhas da 210/410 Norte, dois carros que ficaram presos embaixo d’água e um parcialmente. Na ocasião, ninguém foi ferido.

Veja os vídeos:

Estrago das chuvas

Na Bahia, mais de 91 mil pessoas estão desabrigadas ou desalojadas em decorrência das fortes chuvas que atingem o estado nos últimos dias. Além disso, 25 indivíduos morreram e 517 ficaram feridos. Dos 141 municípios afetados pelas chuvas, 132 declararam situação de emergência. Os dados são da Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec).

Na última sexta (31/12), o presidente Jair Bolsonaro (PL) editou uma medida provisória (MP) que abre crédito extraordinário de R$ 700 milhões para ajudar regiões afetadas pelas fortes chuvas, em especial Bahia e Minas Gerais.

Mais lidas
Últimas notícias